21/08/2011

Annie Hall


Noivo Neurótico, Noiva Nervosa
Ano: 1977
Com quem? Woody Allen (Manhattan) e Diane Keaton (Uma Manhã Gloriosa).

É sobre o quê?
Alvy é um humorista judeu muito irônico, que faz terapia há 15 anos, e tem pensamentos muito únicos sobre as pessoas e a sociedade. Annie é uma cantora em início de carreira, com a personalidade muito complicada. Os dois se apaixonam e tudo acontece muito rápido. Em pouco tempo estão se amando, em pouco tempo estão morando juntos, mas em pouco tempo as crises no relacionamento chegam. Daí é a hora de parar e repensar tudo, desde quando se conheceram, até os seus dias atuais.

Eu gostei de:
Quem lê o blog há algum tempo sabe que eu não tive uma experiência muito boa durante minha primeira vez (rs) com Woody Allen. Assisti Vicky Cristina Barcelona e detestei demais. Mas, decidido a dar uma segunda chance pro cara, segui o conselho de muita gente e assisti Annie Hall finalmente.

MANO. AWESOME!

Alvy é um cara fantástico, com um humor muito ácido, sacadas muito engraçadas e uma vida muito desgraçada. A Annie é uma louca. A personalidade dela é muito inconstante, mas não de um jeito mala. De um jeito engraçado. É muito fácil se apaixonar pelos dois, logo de cara. E é fácil também, se identificar com eles. Acho que todo mundo tem um pouco de Alvy e um pouco de Annie. E se você já se apaixonou por uma pessoa complicada, esse filme é pra você!

As cenas tem uma montagem muito rápida. O filme viaja no tempo, mostrando fases diferentes do casal. É como se fosse (500) Dias com Ela da década de 70. Em algumas cenas, os personagens interagem com o espectador, com estranho passando na rua. O roteiro é cheio de referências a outros filmes, e a cultura "pop" da época (algumas eu não entendi, claro) e tem uma lista de ótimas quotes. É um jeito diferente de fazer cinema. E agora todos aqueles elogios que eu ouvia a respeito de Woody Allen fazem sentido. Acho que comecei com o filme errado e acabei ficando com uma impressão errada. Um filme obrigatório pra quem deu mole que nem eu e ainda não assistiu.


Eu não curti:
Bem, essa não é exatamente uma coisa que EU não curti, mas vi muita gente reclamar por aí nos comentários sobre o filme. Tudo acontece rápido demais. É o tipo de filme que exige atenção o tempo todo, porque as mudanças no tempo acontecem do nada. Ao contrário de (500) Dias com Ela, aqui não tem aquela numeração de dias pra facilitar pra gente. Temos que ficar atentos pra saber em qual ponto da história estamos. E pros avoados, esse é um ponto negativo.

Mas e aí? Vale a pena?
Ainda tem dúvidas??? Corre logo pra assistir!

Você vai gostar se...
Se gosta dos filmes de Woody Allen e nunca assistiu esse (acho difícil rs), se gosta de filmes que contam histórias de amor fora de ordem, como Blue Valentine, só que menos depressivo.

Em uma palavra que não existe: La-di-da. La-di-da. La-La.


6 comentários:

  1. Eu assino como Annie na internet justamente por causa desse filme! hehe
    Um clássico. Adoro.

    ResponderExcluir
  2. Hmn, fiquei com vontade de assistir rs

    ResponderExcluir
  3. Esse filme é ótimo! Eu simplesmente amo o Woody Allen. Um outro filme dele que eu gosto também, é "A Última Noite de Boris Grushenko". Acho mais engraçado do que várias comédias de hoje em dia, mas aí é questão de gosto haha. Nunca comento aqui, mas eu amo o blog :) As críticas são muito boas.

    ResponderExcluir
  4. Deu vontade de ver só pelo "humorista judeu muito irônico", não sei porque, haha.

    ResponderExcluir
  5. Quero ver todos de Woody Allen; e qualquer filme que pareça em algum momento com 500 dias com ela.
    Os personagens devem ser tão bacanas, e acho que vou me identificar tanto. Sei lá, hahaha.

    ResponderExcluir
  6. O Alvy é praticamente o Woody Allen, assim como em muitos, muitos filmes dele, ele colocou um personagem quase auto-biográfico. Humor irônico, judeu, meio hipocondríaco, neurótico = Allen.

    ResponderExcluir