• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

30/04/2011

Pizza-Delivery: links da semana #8

Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui durante a semana. Vale lembrar que o blog não ganha nada por isso. Estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.

Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás.
A gente entrega na sua casa!




Fun With Dick & JaneLink
ShortbusLink
Le Petit NicolasLink
The InvasionLink
I Love You Phillip MorrisLink
KaboomLink
Thor → Em cartaz nos cinemas brasileiros desde 29 de Maio

Thor

Thor
Ano: 2011
Com quem? Chris Hemsworth (Star Trek), Natalie Portman (Cisne Negro), Anthony Hopkins (O Silêncio dos Inocentes) e Kat Dennings (Charlie - Um Grande Garoto).
Avaliação: (4/5)

Não sou de ler HQ's, mas adoro filmes de heróis! Fui assistir Thor ontem, na noite de estreia. A fila cheia de nerds gordinhos de óculos, então me senti em casa!

Thor (Chris Hemsworth) é guerreiro do Reino de Asgard, filho do Rei Odin e irmão do não-tão-bonito Loki. O pai de Thor, já velhinho decide entregar para o Thor o título de Rei de Asgard, mas o loirinho se demonstra arrogante e impulsivo, e momentos antes de ser coroado, Odin decide punir o filho e enviá-lo para a Terra.

A Terra é sempre o castigo, rs.

Quando chega aqui, ele é encontrado pela cientista Jane Foster (Natalie Portman), que vê no herói um interessante objeto de estudo. Os dois começam a se aproximar e, aqui na Terra, Thor aprende o que significa ser um herói quando precisa defender nosso planeta das forças do mal que são enviadas pra cá por um grande inimigo de Asgard.

O filme é cheio de viagens através do espaço, e batalhas muito barulhentas. Meus olhos brilhavam no cinema a cada vez que alguma coisa explodia. O 3D não tem nada demais, mas eu gostei bastante da maneira como as legendas foram colocadas no filme. Não são mais aquelas legendas brancas e esticadas que a gente tá acostumado a ver no cinema. Em Thor elas se ajustam ao melhor lugar da cena, e ainda têm uma profundidade interessante. É um detalhe, mas eu gostei!

Natalie Portman tá bem bonitinha no filme. A atuação tá ótima e eu até esqueci de como ela tava péssima em Sexo Sem Compromisso. Bom trabalho, Natalie!



Durante o filme, no meio de todas as lutas e marteladas, o clima de tensão é quebrado pelo humor de Darcy (Kat Dennings), uma estudante de ciências políticas que ajuda Jane Foster nas suas pesquisas. Suas piadas chegam sempre na hora certa dá pra rir bastante com a menina!

O filme estreou aqui no Brasil ontem, uma semana antes da estreia nos Estados Unidos! A safra de filmes de heróis em 2011 não tinha como começar melhor! Então, se você gosta de heróis, de barulho, batalhas com martelos poderosos e vikings do espaço, você vai gostar de Thor! E se tudo que eu disse ainda não te convenceu, clica aqui e corre pro cinema, rerere.

Dica: Não saia da sala de cinema antes dos créditos acabarem. Tem coisa importante no finalzinho, rs.

29/04/2011

Kaboom

Kaboom
Ano: 2010
Com quem? Thomas Dekker (Terminator: The Sarah Connor Chronicles), Haley Bennett (Marley & Eu), Juno Temple (Mr. Nobody), Kelly Lynch (90210), James Duval (Donnie Darko) e Nicole LaLiberte (Um Jantar Para Idiotas).
Avaliação:  (5/5)

Acho que vocês nunca terão noção do quanto gostei de Kaboom, mas vou tentar explicar.
O filme é uma produção sci-fi que junta os dramas adolescentes com comédia, suspense e terror. Escrito e dirigido por Gregg Araki – que também escreveu e dirigiu Mistérios da Carne, outro filme incrível – toda a obra é uma grande aventura na mente do espectador que fica preso até a última cena do filme.

Smith (Thomas Dekker) é um jovem universitário gay que vive uma rotina de um aluno comum do ensino superior. Ele vive na companhia da amiga Stella (Haley Bennett), uma estudante de artes incrivelmente sarcástica. Smith também divide seu tempo entre sua quedinha pelo colega de quarto, Thor, um surfista hetéro cheio de manias. Durante uma festa ele conhece London (Juno Temple) uma menina loira, inteligente e cool. Essa é a parte normal da história.

Smith tem um mesmo estranho sonho há muito tempo e a cada dia e nova experiência sexual, várias coisas vão tornando tudo mais estranho. Os fatos vão se misturando e as experiências dos alunos vão apresentando mais peças dessa confusão. Tudo é tratado de modo que um adolescente decidiria conduzir, e não aquela mesma história de procurar a verdade e descobrir os segredos com urgência. Fora toda a ficção, o filme não fugiria do cotidiano real de muitos adolescentes universitários.

O roteiro é complexo, mas é trabalhado de modo (até) simples. Não é um filme para você ficar torcendo e guiando na sua cabeça a história, você só assiste com os olhos grudados na tela. Toda a obra, em momento algum, quebra a lógica desenvolvida no final e, apesar de muitos não gostarem de como tudo é trabalhado e finalizado, é de uma genialidade muito legal. Obviamente, como Mysterious Skin, o filme é mind-blowing cheio de mistério, sexo e drama do início ao fim.
"Os lindos: London, Smith e Stella."
Devendo apenas nos efeitos especiais, o filme tem a história mais “WTH” do ano passado. A trilha sonora é outra coisa bem legal no filme, assim como o destaque da obra, Juno Temple que rouba a cena na produção. É como se ficássemos pedindo para ela aparecer mais e mais um pouquinho para ensinar a gente como ser um adolescente legal. Com certeza London é um dos personagens mais legais do novo cinema. Smith e Stella também são incríveis.

As transições das cenas parecem feitas no Windows Movie Maker, porém é divertida essa outra forma de editar um filme. Ganhador do prêmio Queer Palm no Cannes Film Festival 2010, Kaboom foi sem dúvidas uma das surpresas mais legais que já tive e já entrou na minha lista de favoritos. No meu coração, oh .

28/04/2011

I Love You Phillip Morris

O Golpista do Ano
Ano: 2010
Com quem? Jim Carrey (As Loucuras de Dick & Jane), Ewan McGregor (Moulin Rouge), Leslie Mann (17 Outra Vez) e Rodrigo Santoro (300).
Avaliação: (4/5)

This really happened. It really did.

Logo no começo do filme somos avisados que a história é real. Aconteceu MESMO. Existiu de verdade um Steven Russell, que foi um cara certinho a vida inteira mas depois de quase morrer num acidente de carro, descobriu que a vida é curta demais, saiu do armário e se assumiu "gay, gay, gay!" pro mundo inteiro. Como a vida de gay é cara (roupas de grife, viagens e cachorrinhos de madame), Steven começa a planejar uns golpes fiscais pra ganhar dinheiro fácil. Seus golpes são descobertos, ele vai preso, e na cadeia ele conhece Phillip Morris, o amor da sua vida.



E isso é só o começo!

Jim Carrey está ótimo nessa comédia, e o filme não segue a linha das piadas com caretas e situações bobas. Nada de trapalhadas dessa vez! As piadas são inteligentes e o humor negro rola solto (acho ótimo, rs). Acho que essas piadas bem pensadas são colcadas no filme meio que para dar uma aliviada no drama que é a vida de Steven Russell. O cara fala o tempo inteiro que sua vida é uma mentira, e tudo que ele é (ou o que as pessoas pensam que ele é) não passa de uma máscara.

O que mais me impressionou no filme foi assistir tudo sabendo que a história é baseada em fatos reais. Tudo aquilo aconteceu de verdade, e alguns dos planos que o Golpista do Ano arma para fugir da prisão são muito bem bolados. Se você já assistiu, sabe muito bem do que eu estou falando, rs.

O Ewan McGregor também está ótimo no filme! Todo afetadinho, arrumando a franjinha loira o tempo todo. Uma coisa fofa, rs.

A participação do Rodrigo Santoro é bem pequena. Levando em conta a importância do seu papel, ele nem mereceria estar no pôster brasileiro do filme, mas sabe como é, né? Rola um orgulhinho nacional de ver o Santoro num filme com o Jim Carrey! Então, vamos deixar o bonitinho sem camisa no cartaz!

Já vi muita gente comentando que o filme tem cenas gays "pesadas demais". Bando de gente exagerada. São dois ou três beijos e nem dá pra escandalizar. Nada que você já não tenha visto em Brokeback Mountain. E eu ainda me pergunto até quando beijo gay no cinema vai ser polemizado.

MAS ENTÃO, uma ótima mistura de drama e comédia, uma história real muito bem contada e um final surpreendente. Vale a pena assistir!

27/04/2011

The Invasion

Invasores
Ano: 2007
Com quem?
Nicole Kidman (Austrália) e Daniel Craig (007 - Cassino Royale).
Avaliação: (2,5/5)

Um ônibus espacial explode quando está realizando seu caminho de volta para a Terra, e em seus destroços são encontradas substâncias alienígenas que espalham pelo mundo uma epidemia capaz de modificar o DNA das pessoas. Os infectados perdem suas emoções, perdem a necessidade de dormir e ficam andando como zumbis pela cidade procurando mais pessoas para infectarem (vomitando uma gosma amarelada na cara delas, rs).

A psiquiatra Carol e seu amigo/peguete Ben ainda não foram infectados pela doença extraterrestre, e precisam correr pela cidade procurando o filho de Carol. Só que essa busca se torna muito mais complicada quando não se pode demonstrar emoção nenhuma no meio das ruas. Quem grita, chora, corre ou sorri é capturado pelos "novos humanos" e forçado a dormir (porque o vírus só se manifesta se a pessoa estiver em sono profundo).

Como a doença está se espalhando muito rápido, vai ficando cada vez mais difícil saber quem realmente está infectado e quem está só fingindo. Então, no meio dessa nova geração de seres humanos, Carol não pode confiar em ninguém.

Eu não sou muito fã de thrillers, porque a maioria deles me deixa meio apavorado. Mas gostei bastante dessa coisa de "Não confie em ninguém, não demonstre emoção, não durma". Tinha tudo pra ser um filmão, mas acho que a história acaba se perdendo na metade. Tudo fica chato, a agonia vai virando intolerância e quando me dei conta eu estava lutando contra o sono junto com a Nicole Kidman!

Vale a pena assistir se você não criar muitas expectativas. Mas quem cria expectativas em um filme sobre uma geração de zumbis aliens criada a partir dos restos de um ônibus espacial que explodiu? Ah tá, rs.

26/04/2011

Le Petit Nicolas

O Pequeno Nicolau
Ano: 2009
Com quem? Maxime Godart, Válerie Lemercier (Um Lugar na Platéia), Kad Merad (A Voz do Coração), Sandrine Kiberlain (Betty Fisher E Outras Histórias) e Louise Bourgoin (As Múmias do Faraó).
Avaliação: (5/5)

Ah, as crianças! Talvez esse comentário acompanhado de um breve suspiro pode soar weird, mas não é. Há como imaginar que um dia fomos tão criativos que não precisávamos de brainstorm com 1 hora de duração, ou ajuda d’outrem para imaginar ‘qualquer coisa’ ? Era ideia sobre ideia, imaginação ligada 24h por dia e funcionando. Que a gente encara tudo de frente ou simplesmente não encarava. Agora que somos adolescentes ou, até mesmo, adultos tudo requer mais de uma solução. Booooring.

O pequeno Nicolau mostra isso para a gente. Baseada nas histórias em quadrinhos franceses de René Goscinny, que conta a vida de Nicolau um menino ingênuo e, como toda criança, sapeca – LOL – que ainda não entende o Mundo Adulto ou as atitudes dos mais velhos. A história me lembrou O Diário de um Banana, mas só um pouco porque são universos diferentes, épocas diferentes e crianças diferentes. Em O Diário de um Banana é o início da pré-adolescência e em O Pequeno Nicolau ainda estamos na ingênua e encantadora infância.

O Pequeno Nicolau narra toda história explicando seu ponto de vista sobre cada personagem que nos é apresentado. E os comentários dele são absurdamente engraçados, não consegui me concentrar cada vez que a voz do Nicolau soava para apresentar alguém ou algo. Nicolau, como muitos filhos únicos, tem uma vida tranquila e adora ser ‘paparicada’ pelos pais, tem muitos amigos e a liberdade da imaginação. Porém chega um momento em que Nicolau descobre que sua Mãe está grávida. E a história se desenvolve com esse olhar assustado do Nicolau.

Como a cada dia ele aprende algo novo sobre a vida observando o comportamento dos mais velhos ou simplesmente na conversa com seus amigos no recreio da escola, Nicolau não perde tempo e pensa em várias maneiras de resolver essa situação drástica. Ele não quer perde a vida maravilhosa que leva, então reúne os amigos em uma “clube para ajudá-lo”. E cada novo plano, tudo fica mais engraçado. Imaginem uma criança ingênua que junto aos amigos pensam em juntar 500 euros para pagar um sequestrador profissional para levar o futuro irmãozinho de Nicolau embora antes mesmo que ele nasça? Genial.

"A gang..."
Os amigos de Nicolau tem suas histórias particulares bem desenvolvidas, os personagens na escola e os pais seguem o mesmo desenvolvimento maravilhoso do roteiro. As piadas mesmo estão nas confusões e nos fatos que, nós mesmos, já passamos quando crianças. É uma fofura de filme, e o longa-metragem desperta aquela saudade dos nossos dias de criança.



 Crianças, imaginação, os fatos mais engraçados da nossa infância. O filme definitivamente entrou na minha lista de favoritos. Um charme só!

25/04/2011

Shortbus

Shortbus
Ano: 2008
Com quem? Sook-Yin Lee, Paul Dawson, PH DeBoy, Lindsay Beamish e Jay Brannan (Nenhum deles participou de algum filme notável o bastante para eu citar aqui, rere).
Avaliação: (3,5/5)

Já faz um tempinho desde de a primeira vez que eu ouvi falar de Shortbus e eu sabia por alto que o filme tinha uma temática sexual. Todo mundo comentava que "Shortbus é um filme pesado", mas eu não imaginava que fosse TÃO pesado. Não que eu tenha ficado chocado, nem nada. Não vi no filme nada que eu nunca tenha visto, rs. Mas eu realmente não esperava ver tanto pinto, tanta vagina, tanta coisa!

Então, já vou avisando: Se você é do tipo inocente que fecha os olhos até nas cenas de sexo da novela das 8, NÃO ASSISTA SHORTBUS, rs.

O filme conta histórias paralelas de personagens diferentes, com características sexuais diferentes. James e Jemie são um casal gay que está pensando em abrir a relação para um terceiro companheiro. Sophie é uma terapeuta sexual que nunca teve um orgasmo. Saverine é uma dominatrix (essas sadomasoquistas que usam chicotes, algemas, etc) que não se sente completa sexualmente.

Esses personagens frequentam um clube em Nova York chamado Shortbus, onde várias pessoas com diversas inclinações sexuais se reúnem para compartilhar histórias, música, sexo. Há uma mistura muito grande de identidades. Gente normal, gente esquisita, bonitos, feios, gays, lésbicas, héteros, casados, divorciados, todo o tipo de gente! O lugar é bem bizarro.

Se não ficou claro ainda, o tema sexo está presente quase todo o tempo, mas o filme não é, de forma nenhuma, erótico. O ato sexual não é mostrado de maneira sutil. Você vai ver tudo entrando em todos os buracos, mas por trás disso tudo existe toda uma análise sobre o contraste do belo e do grotesco, o culto ao corpo, a busca do ser humano pelo prazer a qualquer custo. OU SEJA, é uma biscoitada pra galera cult, rs.

Minha maior surpresa foi ver
no elenco o Jay Brannan novinho ainda. Pra quem não conhece, o cara é cantor, e faz a linha voz+violão que eu gosto muito (ouça Housewife, uma das minhas favoritas!). Escuto as músicas dele e entro num clima todo fofinho etc, daí vem Shortbus e joga na minha cara o Jay com um pinto na boca! Foi chocante, rs. Tô superando.

O filme é bom, aborda temas diferentes, foi amado no Festival de Cannes em 2006, e apresenta perspectivas sexuais bem diferentes, que você provavelmente não conheceria se não assistisse Shortbus. A não ser que você seja um pervertido putão que curte um S&M.

rs

24/04/2011

A GENTE NÃO POSTOU

  • "Catherine Zeta Jones será vilã no musical Rock of Ages." - Omelete
  • "Precisamos Falar Sobre o Kevin | Adaptação ao cinema tem suas primeiras imagens." - Omelete
  • "Robert Pattinson comenta cinebiografia sobre Jeff Buckley." - Rolling Stone Brasil
  • "30 Minutos ou Menos | Comédia do diretor de Zumbilândia tem mais fotos." - Omelete
  • "Rio mantém liderança isolada nas bilheterias nacionais." - Cineclick
  • "La Piel que Habito, filme de terror dirigido por Pedro Almodóvar, tem primeiras imagens liberadas." - Judão
  • "Hop - Rebelde Sem Páscoa | Elenco entrevista as crianças." - Omelete
  • "Woody Allen escala Jesse Eisenberg, Ellen Page e Penélope Cruz para seu próximo filme." - Rolling Stone Brasil
  • "‘Os Vingadores’ reúne Natalie Portman e Scarlett Johansson." - Amo Cinema
  • "Capitão América | Chris Evans fala sobre o futuro do herói." - Omelete
  • "Arara 'Blu', de 'Rio', voa ao primeiro lugar das bilheterias." - UOl Cinema
  • "Penélope Cruz faz xixi no mar." - Amo Cinema
  • "Documentário sobre vocalista do Motörhead será exibido no Brasil." - Omelete
  • "Superman - O Homem de Aço | Possível sinopse é divulgada." - Omelete
  • "The Lone Ranger | Disney quer Ryan Gosling para ser o Cavaleiro Solitário." - Omelete
  • "Thor | Marvel lança guia interativo do filme." - Omelete
  • "Is Robert Pattinson The Next Brad Pitt? 'Water For Elephants' Costume Designer Thinks So." - MTV Hollywood Crush
  • "Trailer do filme 'Cowboys & Aliens'." - UOL Cinema Videos
  • "Casa de Mi Padre | Will Ferrell em espanhol no trailer da comédia." - Omelete
  • "Quase OITÔ! novos pôsteres de Se Beber, Não Case! Parte II." - Judão
  • "Série ‘24 Horas’ chegará à tela grande." - Amo Cinema
  • "Vaticanista sugere a Bento 16 assistir filme italiano sobre a igreja católica." - UOL Cinema
  • "Taylor Lautner aparece no trailer de Abduction." - Rolling Stone Brasil
  • "Rise of the Planet of the Apes | Trailer sai esta semana; veja o primeiro vídeo." - Omelete
  • "New Still From THE IRON LADY Features Meryl Streep & Jim Broadbent." - We Are Movie Geeks
  • "Sean Penn como roqueiro cinquentão e mais quatro filmes curiosos que estarão no Festival de Cannes." - UOl Cinema
  • "'Homens e Deuses' conta história real de massacre de monges católicos na Argélia." - UOL Cinema
  • "Caetano Veloso dirige festival de cinema." - Amo Cinema
  • "The Last Photograph | Produção de Zack Snyder pode juntar Sean Penn e Christian Bale." - Omelete
  • "Brasileiro 'Trabalhar Cansa' concorre a troféu no Festival de Cannes; saiba mais sobre o filme." - UOl Cinema
  • "Almodóvar competirá pela Palma de Ouro em Cannes com 'A Pele que Habito'." - UOL Cinema
  • "007 | Sony fecha com a MGM para lançar Bond 23." - Omelete
  • "Vik Muniz vai à Lisboa para apresentar 'Lixo Extraordinário' no FESTin." - UOl Cinema
  • "'Oscar brasileiro' divulga sua lista de concorrentes." - Pipoca Moderna
  • "James Cameron cria empresa de 3D." - Amo Cinema
  • "Em filme sobre mafioso, John Travolta pode contracenar com Lindsay Lohan." - UOL Cinema
  • "Assista ao doc 'Back And Forth', sobre a história do Foo Fighters." - Move That JukeBox
  • "Batman - The Dark Knight Rises pode ter mais um reforço no elenco." - Omelete
  • "Sinbad - Rogue of Mars deve marcar a volta de Simbad ao cinema." - Omelete
  • "Festival de Cannes prestará homenagem a Bertolucci." - UOL Cinema
  • "How Walt Disney Cartoons are made." - YouTube
  • "Abraham Lincoln: Vampire Hunter contrata seu principal vampiro." - Omelete
  • "'Hop' lidera bilheteria nos EUA pelo 2º final de semana consecutivo." - Amo Cinema
  • "Tom Hanks é confirmado no novo filme dos Wachowski." - Omelete
  • "Joaquin Phoenix negocia papel em filme sobre a cientologia." - Rolling Stone Brasil
  • "Curta: Não Gosto dos Meninos." - BLCKDMNDS
  • "As inseguranças de Reese Witherspoon em seu casamento." - Amo Cinema
  • "X-Men - Primeira Classe | Movimento hippie na continuação?." - Omelete
  • "Daniel Radcliffe Would Love To Work With Coen Brothers, Christopher Nolan." - MTV Rough Cut: NEWS
  • "Avatar 2 e 3 | James Cameron escolhendo estúdio." - Omelete
  • "X-Men: First Class Title Sequence." - BLCKDMNDS
  • "Lanterna Verde | Novas imagens mostram Hal Jordan com o uniforme de corpo inteiro." - Omelete
  • "Prata da casa em Cannes! O filme 'O Abismo Prateado' representará o Brasil no festival." - MEMO
  • "Odd Thomas | Willem Dafoe se junta ao elenco da adaptação sobrenatural." - Omelete
  • "A resposta de Natalie Portman à polêmica envolvendo Cisne Negro." - Amo Cinema
  • "New HARRY POTTER AND THE DEATHLY HALLOWS – PART 2 Stills." - We Are Movie Geeks
  • "Tai, o paquiderme de 'Água Para Elefantes', ajudou Robert Pattinson a aceitar papel no filme." - UOL Cinema
  • "Filmagens de Os Vingadores começarão amanhã." - Cine Marcado

Fun With Dick & Jane

As Loucuras de Dick & Jane
Ano: 2005
Com quem? Jim Carrey (Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças), Téa Leoni (Espanglês) e Alex Baldwin (30 Rock).
Avaliação: (3/5)

Já comentei aqui que nunca gostei muito dos filmes do Jim Carrey. Mas depois de assistir Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, resolvi dar uma chance pro Jim, e o Vinnie me passou As Loucuras de Dick & Jane e O Golpista do Ano como "dever de casa", rs.

Vamos começar com Fun With Dick & Jane, então! Uma comédia bem engraçada, que conta a história de, vejam bem, DICK e JANE, um casal que vive num bairro rico e bem frequentado, cheio dessas casas grandes americanas, com jardim na frente e piscina nos fundos. Babá pro filho, televisão bem grande e uma vida confortável.

Tudo isso muda quando a empresa onde Dick trabalha vai à falência, e um golpe aplicado pelo grande chefão faz os funcionários perderem todos os seus direitos. Dick e Jane estão pobres, e nào sabem o que fazer. A principio eles tentam procurar novos empregos, pra se adaptarem à pobreza. Mas a grana tá curta e quando começam a ter que vender o carro, os móveis e até os eletrodomésticos, o casal começa a praticar pequenos roubos em lojas pra poder continuar levando a vida com o mesmo padrão de riqueza que estavam acostumados.

O filme vai mostrando as ~aventuras~ que os dois vão passando nessa nova vida de "bandidos" e existem muitas cenas engraçadas. Não sou muito de rir em filme (na maioria das vezes eu dou risada por dentro mesmo). Mas dessa vez eu até que me diverti.

O problema é que eu não consigo ver tanta graça nessas cenas em que o Jim Carrey fica fazendo alguma coisa divertidinha por uns 2 minutos (tipo caretas, ou barulhos estranhos com a boca). Pode ver. Toda comédia com ele tem uma cena dessas. No começo é até legal, mas depois enjoa.

Nos minutos finais eu já estava cansado de tantas ~trapalhadas~ mas é um filme bom que cumpre muito bem a função de comédia e te faz rir bastante.

23/04/2011

Pizza-Delivery: links da semana #7

Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui durante a semana. Vale lembrar que o blog não ganha nada por isso. Estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.

Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás. A gente entrega na sua casa!

Ramona e Beezus → Link (Torrent) / Legenda
Scream 4 →  Em cartaz nos cinemas brasileiros desde 15 de Abril.
The Town → Link (Torrent)

Knight and Day

Encontro Explosivo
Ano: 2010
Com quem? Tom Cruise (Missão Impossível), Cameron Diaz (O Besouro Verde), Peter Sarsgaard (A Órfã) e Paul Dano (Pequena Miss Sunshine).


Isso sim é um blockbuster decente!

Plot: A vida de June (Diaz) muda quando ela entra num vôo com Roy Miller, um espião no meio de uma missão. A partir disso, June vai se enrolando cada vez mais na trama de Miller (tudo sem querer, rs), até que o agente decide que ela tem de acompanhá-lo até ele concluir sua missão, antes que ela morra ou dê mais problemas para ele.

Ou seja, é um filme de ação, cheio de explosões, tiros, perseguições etc. Adoro filmes de ação mas, às vezes, a combinação ação + comédia também pode dar bons resultados, pois faz o filme perder a tensão...e vira puro entretenimento (quando dá certo).

Esse é o caso! O Tom Cruise não é lá o engraçadão, mas nós sabemos que Cameron Diaz é a rainha de se fazer de idiota, eu a acho bem engraçada. A escolha perfeita para o papel. 

Alguns clichês à parte, achei interessante como os personagens foram abordados. Não tem aquele negócio de briguinhas o filme todo, pra depois eles se apaixonarem. O protagonista não é um cara bruto, marrento ou sem coração que vê na ~mocinha~ um raio de luz e amor. Pelo contrário, Roy Miller é super tranquilo, cavalheiro, paciente e, claro, irresistível (hahaha), enquanto June, em vez de ser a mocinha mimada, reclamona etc... é uma "moleca" mesmo, o que explica a escolha da Cameron pro papel, em vez de alguém como Jennifer Aniston ou Katherine Heigl...

Achei várias cenas engraçadas mesmo, principalmente alguns diálogos.

É daqueles filmes bem bobinhos, mas com certeza vou assistir quando esbarrar com ele num Telecine da vida. Quem gostou de As Panteras, ou Sr. e Sra. Smith, vai gostar de Knight and Day.


(ai mano, eu amo o tom cruise, sou suspeito pra falar, rrsrsrs)

Patrik 1,5

Patrik 1.5
Ano: 2008
Com quem? Gustaf Skarsgård (Caminho da Liberdade), Torkel Petersson (Mamma, pappa, barn), Thomas Ljungman (Deixe Ela Entrar), Amanda Davin (Tur & retur), Annika Hallin (Os Homens Que Não Amavam As Mulheres) e Jacob Ericksson (A Menina Que Brincava Com Fogo).
Avaliação:  (4,5/5)


Filmes sobre casais gays costumam seguir o mesmo ritmo e a mesma formula: são dois caras super sarados, bonitos, um é mais sensível que o outro e no fim alguém morre. Então na maioria das vezes isso funciona, porque é uma fórmula bem comercial e, como tal, vende bastante. Porém tem sempre alguém pensando em algo melhor, daí aparece Patrik 1.5. E tudo mudou.

Originalmente uma peça de mesmo nome escrita por Michael Druker e devido ao sucesso – e a genialidade, claro – foi adaptada para o cinema. Ainda bem, não é mesmo, porque quais seriam as chances reais de nós assistirmos a peça sueca original? Quase nulas.

O filme sueco conta a história de Göran Skoogh e Sven Skoogh, um casal homossexual que pretende adotar um bebê para completar a família que eles vem cultivando ao longo do tempo. Quando finalmente conseguem a autorização para adotar uma criança, um erro no documento leva para morar com o casal não um bebê de 1 ano e 5 meses, e sim um jovem de 15 anos, com uma longa ficha de crimes e... homofóbico.


O casal, que é super normal (não que casal sarado e top model seja anormal) com problemas de um casal normal, é novo no bairro e já tinha que conquistar os vizinhos e vencer o preconceito de alguns deles agora tem o problema em casa. Um jovem delinquente que não mede esforços para demostrar – e humilhar – o ódio que sente pelos gay.

A fotografia e a trilha sonora são coisas a parte, é tudo lindo e cutest. Os ingredientes corretos para fazer qualquer um se apaixonar por um filme, seja qual for o tema. Os detalhes no roteiro, as histórias paralelas, os atores e o desenvolvimento final são incríveis. A fofura do filme lembrou-me muito “Juno”, de uma forma diferente já que o que acontece em Patrik 1,5 é o oposto de Juno. Até atuação fofa de Gustaf Skarsgård conecta-nos à Juno. – E sim, Gustaf Skarsgård é irmão de Alexander Skarsgård de True Blood. Ambos da talentosa família Skarsgård. –


Uma visão diferente de um tipo de família considerada diferente pela sociedade, mas que na verdade é exatamente igual aos outros tipos famílias. E eu não sei se mencionei isso antes: é tudo muito fofo, perigo de se apaixonar pela Suécia e pela família Skoogh.

É assim que se faz uma comédia-romântica-dramática de verdade!

22/04/2011

Jonah Hex

Jonah Hex
Ano:
 2010
Com quem? Josh Brolin (Planeta Terror), John Malkovich (Queime Depois de Ler), Megan Fox (Garota Infernal) e Michael Fassbender (Bastardos Inglórios).


SOCORRO!

Que filme ruim! Só isso que eu te falo...






Tá, beleza, vou comentar mais.

Jonah Hex é baseado nos quadrinhos de mesmo nome (que eu nunca li, pra variar). A história é sobre um homem que tem a família assassinada em sua frente por ordens de Quentin Turnbull, um homem que jurou vingança a Jonah após este ter matado seu filho.

Jonah então passa a trabalhar como caçador de recompensas até que então surge a oportunidade de confrontar Turnbull e todos que lhe fizeram mal no passado.

Então tá bom, uma história de vingança, "acho ótimo" pensei. Mas diferentemente da simpatia que temos pela Noiva em Kill Bill, no caso de Jonah Hex... pouco importa se ele vai matar todo mundo e vingar a morte da sua família... simplesmente não conhecemos Jonah Hex, e não temos vontade de conhecê-lo. 

Há poucos diálogos interessantes e pouca interação entre os personagens, a não ser os tiroteios. Aliás, não há diálogos relevantes at all e, com isso, não há exatamente um enredo decente. Vemos imagens, gente falando, brigando, atirando e tudo com base em uma história tão fraca, que honestamente já nem lembro mais, rs.

Nem as cenas de ação salvam. E o tédio come solto. O diretor é obviamente inexperiente, não sei como ele conseguiu verba para fazer este filme e contratar um elenco com Josh Brolin e John Malkovich. Eu não entendo quase nada de cinema, mas até eu que sou leigo consigo ver essa direção fraca.

É o típico filme que o elenco só topa fazer pra comprar um apartamento novo...

(Megan Fox tá maravilinda no filme mas, até aí, existe o google para vê-la)



Alguém mais odiou Jonah Hex?

The Town

Atração Perigosa
Ano:
 2010
Com quem? Ben Affleck (Pearl Harbor), Rebecca Hall (Vicky Cristina Barcelona), Jon Hamm (Howl), Jeremy Renner (O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford), Blake Lively (Gossip Girl).

Ben Affleck é Doug, membro de um grupo criminoso que assalta carros-forte  e bancos. Durante um trabalho, a gangue de Doug sequestra a gerente de um banco, Claire, mas acabam por deixá-la ir. A mulher fica traumatizada e, com receito de que ela saiba algo que incriminá-los, Doug decide conhecer Claire para averiguar a situação.

O que ele não esperava é que fosse se apaixonar pela gerente, que passa a vê-lo como um porto seguro e uma ajuda para superar seu trauma. Com o FBI em sua cola e mais planos de assaltos,  Doug tenta manter esse relacionamento complicado.

A história parece ser original, mas algo me diz "já vi mais ou menos isso antes" ... embora eu não consiga pensar em nenhum filme agora. De qualquer forma o roteiro é bem interessante, com vários personagens problemáticos etc...

Mas algo não convence...

Não se se é culpa das atuações do atores, ou da direção do Ben Affleck (sim, ele é o diretor!), mas foi difícil se identificar, ou simpatizar com os personagens. Podemos ficar aflitos uma hora ou outra, mas no fim das contas, pouco importa o destino do protagonista. Eu costumo me entregar bastante a qualquer filme que assisto, só que este não foi o caso. Se o cara morrer, explodir, for pra cadeia, pouco importa. (E esse tipo de coisa é bem desestimulante num filme).

A Blake Lively tenta coitada, tem uma personagem bem fucked up, bem white trash... só que também não convence muito, aliás é a que menos convence no filme... eu só conseguia ver uma versão "toda acabada" da Serena de Gossip Girl. 

Enfim, é legal, é interessante, tem tiros, perseguição etc... mas não considero bom um filme que, em 2 horas, não consegue fazer a gente se importar com os personagens.

Alguém mais acha isso? rs



21/04/2011

Eternal Sunshine of the Spotless Mind

Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças
Ano: 2004
Com quem? Jim Carrey (As Loucuras de Dick e Jane), Kate Winslet (Titanic), Kirsten Dunst (Maria Antonieta), Mark Ruffalo (Minhas Mães e Meu Pai), Elijah Wood (O Senhor dos Anéis) e Tom Wilkinson (O Besouro Verde).
Avaliação: ★ (5/5)

Nota pré-post: eu sei que todo mundo já viu esse filme, e Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças tá na lista de "filmes obrigatórios" de muita gente. Mas eu enrolei a vida toda e só fui ver semana passada, rs. Não me julguem.

-


Imagine uma realidade onde existe um procedimento capaz de te fazer esquecer pessoas, momentos e situações pra sempre. Pense como seria mais fácil superar aquele fim de namoro complicado e seguir em frente se você nunca mais se lembrar do(a) ex.

É isso que Clementine (Kate Winslet) decide fazer.

Quando descobre que a ex-namorada decidiu esquecê-lo pra sempre, Joel (Jim Carrey) procura a Lacuna Inc. (empresa que faz o tal "tratamento do esquecimento") e resolve esquecer Clementine também. Só que no meio do processo, Joel se arrepende e começa a correr pelos lugares da sua mente tentando esconder a namorada em lembranças das quais ela não faz parte. Falando desse jeito, o filme pode parecer ser meio confuso. Mas é uma confusão coerente, se é que eu posso chamar assim. A mistura de realidade e lembrança criou um tipo de roteiro que eu jamais vi nada parecido! A ideia é super original e  é contada de uma maneira original.

Filmes com o Jim Carrey nunca me empolgaram muito, mas a atuação dele está foda. E a parceria com a Kate Winslet (que eu cheguei a imaginar que seria meio forçadinha) me surpreendeu! Os dois foram ótimos juntos! A trama que acontece paralelamente, fora da mente de Joel também está ligada com o que acontece dentro, e no fim das contas a história é tão bem amarrada que você vai ficar tipo OH FUCK!

E depois que o filme acabou, fiquei um bom tempinho com minhas reflexões pós-filme. E isso é bom, porque eu adoro filmes que me fazem pensar.

Trilha sonora ótima, atuação ótima, drama ótimo, romance ótimo. Traz 5 estrelas pra esse aí!

20/04/2011

De Pernas Pro Ar


De Pernas Pro Ar
Ano: 2010
Com quem? Ingrid Guimarães (Batendo Ponto), Maria Paula (Casseta & Planeta) e Bruno Garcia (S.O.S. Emergência).
Avaliação:   (3/5)

Comédia romântica brasileira é sempre um desafio. Ou é muito legal ou é mais clichê que Chiclete com Banana no Carnaval. LOL. O cinema brasileiro vem melhorando muito e esse gênero também está seguindo o caminho para a salvação.

De Pernas Pro Ar conta a história de Alice (Ingrid Guimarães) uma workaholic – viciados em trabalho – que é bem frigida, quer dizer, ocupada, organizada e controladora. Típico, não? Quando ela pensa que finalmente vai dar o salto de sua vida, a turbulência no relacionamento com o marido acaba afetando o seu trabalho. Então, de repente ela se vê como um desastre no casamento – no sexo principalmente – o que acaba unindo ela e Marcela (Maria Paula), uma dona de Sex Shop que sabe tudo sobre sexo.

O filme é muito engraçado e tem piadas ótimas. O roteiro é bem legal também, porém acho que ator global não nasce para fazer mais de um papel, sempre tornam tudo monótono. Ou a gente que acaba ficando com essa impressão. Não custava nada pegar a galera do teatro de comédia e colocar nesse filme. Outra coisa chata é o excesso de clichê e a trilha sonora nada atual; por mais que uma música seja super conhecida ninguém mais chega em casa depois da balada e coloca “Já Sei Namorar” dos Tribalistas.

O filme seria incrível se fosse só a Maria Paula e a Ingrid Guimarães juntas conversando sobre os problemas da vida. Elas, praticamente, carregam o filme nas costas. Carregam com algemas cor-de-rosa, com cinta de couro e óleo sabor frutas no corpo. Assim, bem S&M.

Você quer rir? O filme consegue fazer você rir muito, até doer o abdômen. Pena que o investimento na produção dos filmes no Brasil ainda é pequena, por exemplo, nas cenas que envolvem ‘o festival’ ficam claras que é cenografia e nada é real. Custava alugar um centro de exposições e convidar várias Sex Shops? Entre outras coisas que poderiam ser melhor.

Lá ou cá, o filme é muito engraçado e morri de rir do começo ao fim. E o final do final, é uma das cenas mais engraçadas. Ahh, quando quiser rir já sei que filme alugar.