• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

31/07/2011

Hop

Hop – Rebeldes Sem Páscoa
Ano: 2011
Com quem? James Marsden (A Caixa), Russell Brand (Arthur), Kaley Cuoco (The Big Bang Theory), Hank Azaria (Amor e Outras Drogas), Gary Cole (Segurando as Pontas), Elizabeth Perkins (Procura-se um amor que goste de cachorros) e Hugh Laurie (Dr. House).


É sobre o quê?
Dos mesmos criadores de Meu Malvado Favorito, o filme contra a história e E.B. (Russell Brand), um coelho adolescente que gosta de se aventurar, tocar bateria e de rock. E.B. quer se tornar uma estrela do rock e não o Coelho da Páscoa como deseja seu pai, então ele decide fugir para Hollywood. Lá ele encontra Fred (James Marsden), um cara preguiçoso, desajeitado, que não se encaixa em nenhum emprego e ainda mora com seus pais. Juntos eles decidem ajudar um ao outro, mas não é bem isso que acontece.

Eu gostei de:
Soooo cute!!! Eu gostei de tanta coisa, não deveria ter deixado de assistir nos cinemas. O filme é muito engraçado e cheio de piadas geniais sobre ‘internet’. Os efeitos são ótimos e dão aquela vontade de abraçar todos aqueles coelhos, aqueles pintinhos, é muito amor. Voltado para criança, o filme é bem colorido e animado, mas também alcança o público adulto com piadinhas ‘internas’ como o filme zuando o Russell Brand e outras mais.

Tem participação daquele jurado maluco do America’s got talent, David Hasselhoff e da comediante Chelsea Joy Handler. Outra coisa legal, das várias coisas legais, é que o filme trata daquela questão que ninguém nunca respondeu: por que são coelhos que entregam os ovos de Páscoa?

Eu não curti:

O filme é muito engraçado, então alguém tinha que exagerar e estragar o clima. Por exemplo: James Marsden passa metade do filme exagerando nas caras e bocas, não convence muito e parece que nem está acreditando que está conversando com um coelho falante. Tudo bem, quem iria imaginar? Mas não precisava fazer tanta careta. Você não é o Didi Moco. Kaley Cuoco também exagera de vez em quando, mas acho que desde TBBT já estamos acostumados com isso. E não tem como não rir dela, né?



Vale a pena?
Muito! O filme garante risadas longas e de tirar o fôlego – também garante aquela fome por passar o filme entre doces e chocolates – . Ver pintinhos (ou galinhos, como queira) falentes, dançando, coelhos com roupas de gente é SUPER engraçado. A trilha sonora é “sem noção” também, e colabora muito com o clima do filme.

Você vai gostar se...
Gosta de rir, coelhos falantes, galinhos gordinhos e lindos, ótimas piadas e cenas engraçadas. Se você gosta da vibe A Fantástica Fábrica de Chocolate que tem a Páscoa, também vai adorar assistir o filme. Se você já quis abraçar um coelho baterista e com sotaque britânico ou simplesmente ama ganhar chocolate na Páscoa, esse é o seu filme!

Em três palavras: Candy, Chicks & Rock’n’Roll!

30/07/2011

Pizza-Delivery: links da semana #21

Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui no blog durante a semana. Não ganhamos nada com isso e estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.

Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás.
A gente entrega na sua casa!

Captain America: The First Avenger


Capitão América: O Primeiro Vingador
Ano: 2011
Com quem? Chris Evans (Quarteto Fantástico), Hayley Atwell (A Duquesa), Sebastian Stan (Cisne Negro), Hugo Weaving (Matrix) e Stanley Tucci (Um Olhar no Paraíso).

É sobre o quê?
Steve Rogers é o tipo de cara que tem amor pela nação americana. Quer servir ao exército na guerra contra os nazistas, e tem um bom coração e muita determinação. Só que é baixinho, magrelo, asmático e não lembra em NADA um soldado galã das forças armadas americanas. Então Steve é escolhido pra ser cobaia em um experimento que cria "super soldados", aumentando suas características genéticas e psicológicas. Mais músculos, mais força, mais altura, mais coragem etc. Dotado com essas novas habilidades, Steve está apto e entrar no exército, conquistar Peggy Carter, proteger seu país e se tornar o Capitão América. *boom*

Eu gostei de:
É um filme ótimo em efeitos especiais e roteiro. Quem odeia os Estados Unidos, obviamente vai detestar a maneira como o filme coloca a nação americana no pedestal, mas eu gostei bastante. O filme tem uma estética muito bonita, mostrando o famoso American Way of Life, em cenas que me lembraram o clipe de Candyman, da Christina Aguilera. Achei bem ótimo.
A adaptação do uniforme do Capitão América ficou bem legal. Não é o capacete alado caricato dos quadrinhos, mas o filme não deixa a roupa do herói perder suas características.
Ao contrário do que muita gente tá dizendo, gostei bastante da Hayley Atwell como Peggy Carter. Ficou badass, sem ficar forçado, e representou direitinho o lado mais girl power da década de 40. Gostei demais.

Eu não curti:
Antes de qualquer coisa, nada contra o Chris Evans.

Acho ótimo, rs
Mas não fiquei muito satisfeito com a escolha dele pro papel. Todo mundo já conhece o Chris como o Tocha Humana do Quarteto Fantástico, e de repente ele aparece depilado como Capitão América? Hollywood tá cheia de galãs com peitoral pra atuar no filme, e a escolha poderia ter sido melhor.
Também não gostei muito da maneira como o Caveira Vermelha se revela. Pra quem não sabe, o Caveira é um vilão feio pra porra, e no filme ele usa uma dessas máscaras de silicone com aparência de rosto de gente, rs. Achei meio mal feito, e ficou parecido com aquelas cenas de Scooby Doo, quando a Mistério S.A. captura o vilão e arranca a máscara dele. Bem desse jeitinho, rs.
Também achei ruinzinho de ação. A minha parte favorita nos filmes de herói acabou sendo deixada de lado. O "duelo" final com o vilão foi bem sem graça e nem um pouco emocionante. No fim das contas, Capitão América é mais um filme de guerra do que um filme de herói.

Mas e aí? Vale a pena?
Claro que sim! Capitão América não é um filme avulso. Tudo se junta no ano que vem com a estreia do filme dos Vingadores, e se você também está ansioso pros Vingadores assim como eu, precisa assistir o Capitão América. Afinal de contas, ele é meio que o começo de tudo. Tem até teaser novo do filme no final de Capitão América, mas na minha sessão não passou!  Absurdo.

Você vai gostar se...
Se curte filmes de heróis, se gosta de histórias de guerra e roteiros que misturam fatos da história real com a ficção. No caso, Capitão América se mete no meio do nazismo, transforma o Caveira Vermelha num novo Hitler e tem um final alucinante!

Em uma frase: Tia May sinistra com a metralhadora kk

 
Nota pós-post: Foi difícil escolher a nota pro filme, mas resolvi dar 4 pizzas porque é um ótimo filme, e 3,5 é pouco pra ele. Mas só acho justo deixar dito aqui que Thor (que também ganhou 4 pizzas) é beeeem melhor, rs.

29/07/2011

Winter's Bone

Inverno da Alma
Ano: 2010
Com quem? Jennifer Lawrence (X-men First Class), John Hawkes (Identidade), Garret Dillahunt (A Última Casa), 

É sobre o quê?
Ree é uma menina de 17 anos que mora nas montanhas com a mãe doente e os irmãos mais novos. A família está na miséria desde que o pai foi preso por fabricar drogas. 
Quando o xerife aparece à sua porta dizendo que o pai usou a propriedade como fiança e está foragido (era para ele comparecer a uma audiência), Ree decide procurar pelo pai para apresentá-lo à polícia, antes que a família seja despejada.

Eu gostei de:
O roteiro é muito original. A história em si parece bem simples: a menina procurando o pai traficante pela região (que só tem gente pobre e da mesma laia). Mas o interessante é que podemos perceber que há muita história, muita coisa aconteceu antes dos eventos que são mostrados no filme. Algumas coisas a gente deduz, mas não temos certeza de nada. 

A menina desafia tudo e a todos para defender sua família (e isso é lindo), embora algumas pessoas pareçam querer ajudar, a maioria só olha torto para ela. "E por quê?" a gente pensa. Então rola esse mistério.

A Jennifer Lawrence dá mesmo um show de atuação, o que explica a sua indicação ao Oscar de melhor atriz. A gente toma as dores dela e a cada situação que ela passa dá vontade de chorar (claro que eu chorei algumas vezes... mas não pelo drama da história, e sim pela atuação tão sincera da atriz). Achei o filme lindo.
Os coadjuvantes também são muito bons.

Eu não curti:
É parado. Dá a impressão de que poucas coisas acontecem. Há muitas coisas não explicadas (o que por um lado, torna o filme bem diferente). E algumas atitudes dos personagens parecem não fazer muito sentido também (o que está relacionado ao que eu disse antes).

Vale a pena?
Vale sim! É um bom drama, é uma história bem ... crua. Não tem nada hollywoodiano e tudo parece bem verdadeiro. O roteiro simples/complexo é diferente, interessante, sem ser aquela coisa cult e pedante (sou desses que faz rimas rs). Vale alugar, baixar ou assistir na tv. 

Você vai gostar se...
Você curte dramas simples, sem apelações. Se você gosta de ver mulheres fortes, batalhadoras estilo Brockovich e tal. Se você curte o tema família também. Dá para se emocionar, mas sem que isso acabe com seu dia.

Em uma frase do gueto: Essa mina tem sangue nos zóio, fei.

28/07/2011

Voor Een Verloren Soldaat

Para Um Soldado Perdido
Ano: 1992
Com quem? Andrew Kelley, Maarten smit e Jeroen Krabbé (007 – Marcado para Morrer)

É sobre o quê?
Um filme holandês que trata a descoberta do amor de um menino de 12 anos, que se vê apaixonado por um soldado canadense de 20 anos. O sentimento se aflora durante o fim da II Guerra Mundial e a relação dos dois se desenvolve de grande afeto a um amor sutil e bastante singelo.

Eu gostei de:
É, acho que deu para perceber que não é um filme comum. Difícil explicar até, mas eu gostei da relação entre Jereon e sua nova família. O despertar do sentimento que ele sente, a visão dele do amor. Isso é um ponto que eu consegui enxergar no filme. O contexto histórico também é muito legal, a boêmia dos soldados após ganharem a guerra, a vida de heróis instantâneos de alguns. Fácil de entender e muito bem feito.

Eu não curti:
O filme pode ser considerado uma obra de arte para muitos. Pode até ser bonito, charmoso, verdadeiro e tudo mais. Infelizmente, eu não consegui encontrar essa conexão. O sentimento do soldado para o Jereon é ambíguo. Eu não sei se é carência, amor de verdade, ou seja lá o quê.


Vale a pena?
Acho que sim. Não é um filme para mim. Muitas pessoas me falaram muito bem desse filme, também vi comentários maldosos sobre esse longa-metragem. Não posso dizer que indico como #MustSee, mas quem sabe você não consiga encontrar toda essa beleza que eu não consegui?

Você vai gostar se...
Gosta de descobertas do primeiro amor, história da II Guerra Mundial, belas paisagens, sentimentos à flor da pele e se gosta de filmes cults. Sim, porque esse é um daqueles filmes da imensa lista de ganhadores de prêmios, consagrados e super-old.

Em uma frase: eu acho que ainda não entendo o Amor.
(trailer)

26/07/2011

Diary of a Wimpy Kid: Rodrick Rules


Diário de um Banana: Rodrick é o Cara
Ano: 2011
Com quem? Zachary Gordon (A Lenda do Tesouro Perdido: Livro dos Segredos), Devon Bostick (A Ilha dos Mortos), Rachel Harris (Se Beber, Não Case!) e Steve Zahn (Trabalho Sujo).

É sobre o quê?
Continuação de Diário de um Banana, o filme é a adaptação do segundo livro da série. Agora Greg Heffley está na 6ª série, e ele acredita que sua vida vai ser diferente. Mas Rodrick, seu irmão mais velho, continua pegando no seu pé. O filme mostra várias situações onde a relação Greg-Rodrick é explorada. A cumplicidade entre os irmãos, as brigas de todo dia, as chantagens e trapaças pra ver quem fica com a fama de bonzinho na frente da mãe. Greg começa a perceber que o irmão mais velho talvez não seja tão mala, e recebe conselhos de Rodrick pra se dar bem com os pais, os professores e as gatinhas, rs.

Eu gostei de:
A sequência é bem melhor do que o primeiro! Eu tenho o livro (sério, rs) e achei que a adaptação foi muito bem feita, seguindo a mesma linha da narrativa engraçada, com piadas e questionamentos de um garoto da sexta série. Algumas coisas foram acrescentadas para deixar a história mais com jeito de filme, mas em nada estragou a história original. O legal é que Greg tem a mente muito fértil, e imagina as coisas de um jeito muito divertido. Às vezes ele é meio parecido comigo, quando eu era novinho. Só que eu era mais loser, rs. A história é bobinha, claro. Mas o filme é tão leve e interessante que você vai assistindo sem se dar conta de que o tempo está passando. É um filme bem família mesmo, e filmes assim são sempre bons (mesmo se você for assistir sozinho :~~~).

Eu não curti:
Não há muito do que reclamar, já que o filme cumpre direitinho sua missão de entreter. Mas eu realmente não gosto do Devon Bostick, que faz o Rodrick. Não é que ele atue mal ou coisa assim. É só frescura minha mesmo, rere.

CARAI FUDEU kkk
Mas e aí? Vale a pena?
Vale sim! As histórias de Greg são pra todo mundo. O garotinho pensa em coisas que com certeza você já pensou quando tinha a idade dele. E o filme foge um pouco desse clichê de histórias sobre o Ensino Médio e mostra um pouco da Middle School, abordando uma fase que pode ser mais chata até do que a adolescência. Diário de um Banana é o tipo de história que eu quero que meus sobrinhos leiam!

Você vai gostar se...
Se gosta de filmes com crianças e histórias de famílias engraçadas. Se a sua família é divertida, ou se você tem irmãos (mais velhos ou mais novos, não importa). Qualquer família tem um pouco da Família Heffley.

Em uma frase: Bem que seria legal se Diário de um Banana virasse um seriado.

25/07/2011

The Haunting in Connecticut

Evocando Espíritos
Ano: 2009
Com quem? Virgínia Madsen (A Garota da Capa Vermelha), Kyle Gallner (Garota Infernal), Martin Donovan (Ameaça Terrorista), Elias Koteas (Contatos de 4º Grau).

É sobre o quê?
Uma família é forçada a se mudar para uma casa nova, mais perto do hospital onde o filho recebe tratamento para o câncer. Eles sabem que a casa fora um dia usada como funerária, mas como era a única casa que podiam pagar, decidiram ficar com ela mesmo. 

Mas... o menino doente (que decide morar no porão, claaaaro) começa a perceber que eles não estão sozinhos naquela casa. ~uuuuh~

[Ah, e é baseada - supostamente - em eventos reais...rs]

Eu gostei de:
Primeiro que a gente ganha uma certa simpatia pelos pais e pelo menino com câncer já no começo do filme (rola um draminha). Gostei disso, pois faz a gente se importar com o destino dos personagens ao longo do filme. A história tem alguns mistérios e uns sustos bem dignos também.

Gostei principalmente da parte sobrenatural e ocultista da história. Falam de magia etc etc. (e eu gosto quando rola um enfoque assim) e de um outro tipo específico de magia que eu sempre achei interessante (weirdo). Mas não vou falar qual é, pq pode ser spoiler, sei lá.

Eu não curti:
Por mais que a gente se importe com alguns personagens, eles não são tão importantes assim para gente ficar pulando no sofá, torcendo: "corre viado corrre!" etc. E o terror em si não é tão terror, exceto por alguns sustos ótimos, rs. O mistério que vai sendo revelado é legal também, mas nada super interessante e complexo.

Além disso, chega um certo ponto que acaba a já pouca tensão do filme e a história pega um rumo (eu adorei) que não dá medo nenhum, você só fica lá... assistindo rs.

[Aliás, alguém pode me sugerir um filme que dê MEDO? Não sustos (tipo Pânico), mas medo... daqueles filmes que a gente tem que pensar: "not real, not real, not real" ...rs]

Vale a pena?
Depende... Se você quer só terror terror, esse filme não é muito para você (a não ser que você seja cagão mesmo). Mas é entretenimento. Não é chatão e não dá sono. Você vai se assustar algumas vezes também. Eu acho que vale à pena num momento de tédio. Se você não tiver nenhum filme de terror em mente, pode ver esse aí... mas não é um do tipo "você TEM que ver".

Você vai gostar se...
Se você se interessa por filmes abordando práticas de magia e ocultismo, espíritos, fantasmas etc. Se você gostou de Os Outros (embora não seja tão bom quanto) ou de outro filme que eu adoro: A Chave Mestra.

Esse tem um estilo parecido, tem um certo terror, mas foca em conhecimentos ocultos e práticas de magia etc. A diferença é que a história da Chave Mestra é muito mais interessante. (é uma dica também, rs)

Em um poeminha macabro: 

One bright day in the middle of the night, 
two dead boys got up to fight. 
Back to back they faced each other, 
drew their swords and shot each other. 
A deaf policeman heard the noise 
and came and killed those two dead boys

24/07/2011

Grown Ups



Gente Grande
Ano: 2010
Com quem? Adam Sandler (Esposa de Mentirinha), Kevin James (Hitch - Conselheiro Amoroso), Chris Rock (Um Pobretão na Casa Branca), David Spade (Joe Sujo), Rob Schneider (Gigolô Por Acidente) e Maya Rudolph (Idiocracia).

É sobre o quê?
Cinco amigos de infância se reencontram para o funeral do treinador do time de basquete, 30 anos depois depois de vencerem um campeonato na escola. Já casados e com filhos, eles decidem passar o feriado do Dia da Independência num acampamento do lago. O final de semana é uma oportunidade para os amigos esquecerem que são adultos e deixarem as obrigações do trabalho de lado. Juntos eles aprontam muitas confusões (rs) e percebem que ficar mais velho não significa crescer.

Eu gostei de:
É um filme engraçado. Comédia nunca foi meu gênero de filme preferido, porque é meio complicado me fazer rir (sou chato, rs). Mas Gente Grande é bem divertido. Pelo elenco cheio de figurinhas das comédias americanas, já dá pra saber logo de cara o que esperar. O personagem do Rob Schneider, que também se chama Rob, é sem dúvidas o meu favorito. Um cara bem bizarro, casado com uma mulher mais velha, que leva tudo pro lado do drama. Ri demais. E outro destaque são as cenas com o Kevin James. Não consigo rir de gente caindo e se machucando em comédias. Mas ver um gordo atrapalhado é sempre divertido, e o Kevin faz um ótimo gordo atrapalhado.


Eu não curti:
No geral, eu não gosto de filmes com o Adam Sandler. Não entendo o motivo pelo qual as pessoas gostam TANTO do cara. Ele é engraçado, mas todos os seus filmes acabam caindo naquele "mais do mesmo". Lenny (seu personagem em Gente Grande) é um cara divertido, mas é a mesma coisa que o Adam Sandler em Click, Golpe Baixo, Como Se Fosse a Primeira Vez, Um Faz de Conta que Acontece, etc. Só muda a atriz que vai ficar com ele no final. O resto é sempre a mesma coisa.

Overrated demais essa Adam, viu?

Mas e aí? Vale a pena?
No fim das contas vale sim. É divertido, tem lição de moral, boas piadas, cenas de video cassetadas e tudo que uma comédia precisa ter pra satisfazer. Eu assisti numa """"festa do pijama""" na casa da minha irmã, e recomendo que você assista com uma galera. Todo mundo vai rir uma hora ou outra. (Mas se fosse eu que tivesse ido à locadora, teria escolhido outro, sem dúvidas).

Você vai gostar se...
Se gostou dos outros filmes do Adam Sandler, vai gostar desse também. Se gosta dessas comédias bem família, que passam na Temperatura Máxima aos domingos, sabe? Filme ideal pra você!

Em uma frase: Até que é engraçadinho.

23/07/2011

Pizza-Delivery: links da semana #20

Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui durante a semana. Vale lembrar que o blog não ganha nada por isso. Estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.

Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás.
A gente entrega na sua casa!


Cry Wolf Link
RangoLink em duas partes: Parte 1 / Parte 2
Black Swan Link
DesenrolaLink
New in TownLink
DisturbiaLink
Midnight in Paris  → Em cartaz nos cinemas brasileiros desde 17 de Julho.

Midnight in Paris

Meia-Noite em Paris
Ano: 2011
Com quem? Owen Wilson (Carros 2), Rachel McAdams (Te Amarei Para Sempre), Kurt Fuller (Tratamento de Choque), Mimi Kennedy (Um Parto de Viagem), Michael Sheen (Tron: O Legado), Nina Arianda (Win Win) e Carla Bruni.


É sobre o quê?
Mais um filme do Woody Allen, mais uma estreia de sucesso, mais um filme aclamado em Cannes. Os filmes do Woody contêm os mesmos elementos em histórias diversas e muitas vezes divergentes. Em Meia-Noite em Paris, uma família viaja de férias à Paris para curtir os dias antes de começar a planejar os detalhes do casamento. Diferente de sua futura esposa Inez (Rachel McAdams) que quer dançar e ir a bons restaurantes e galerias, Gil (Owen Wilson) decide se aventurar pelas ruas da cidade onde descobre as maravilhas inusitadas de uma Paris à meia-noite.

Eu gostei de:
Não posso contar! O filme ganha por isso, você tem uma sinopse muito rasa e o que acontece é muito inusitado. Genial, coisa que o Woody faria mesmo. O que posso contar e que gostei é o mesmo que aparece em Vicky Cristina Barcelona: o filme parece um gigantesco guia turístico. A fotografia é apenas mais uma faca nas costas e a gente ficam gritando “okay, eu entendi que Paris é linda, incrível, maravilhosa!”. Que lugar incrível?!


A parte cultural, o trabalho com as décadas e os elementos da cidade da luz são lindos. Trilha sonora linda, tudo lindo.

Eu não curti:
Para um filme lindo demais, o que faltou foi conseguir uma ponte com os personagens com o espectador. Eu pouco me conectei com o Gil, só no aspecto dele ser ‘awkward’, nunca terminar uma sentença, sempre falar coisas que ninguém entende. O personagem é ótimo, mas...

Outra coisa é que o filme é para gente rica. Para vocês terem a noção, a vibe do filme é “estava sem nada para fazer então fui viajar para Paris”. Os personagens são muito caros, tudo é muito caro. Eles esbanjam demais, o filme é bem legal, mas não entendi porque tanta riqueza assim.

Vale a pena?
Vale! Você vai aprender muito e muito sobre cultura, arte e música. História no geral também. Eu me sentia muito burro neste aspecto,

Você vai gostar se...
Gosta de viajar, de gastar muito em viagens caras. Se você ama Paris, arte e história da arte. Se você gosta de Woody Allen e Rachel McAdams e Carla Bruni – que estão lindas! – e de vinho. Vinho, vinho e vinho!

Em uma frase: quero ir para Paris à meia-noite!

22/07/2011

Disturbia


Paranóia
Ano: 2007
Com quem? Shia LeBeouf (Transformers), Sarah Roemer (Sempre ao seu Lado) e David Morse (À Espera de um Milagre).

É sobre o quê?
Com a morte do pai, Kale virou um garoto-problema. Depois de dar um surto de violência na escola, o garoto é condenado a passar 90 dias em prisão domiciliar. Sem nada pra fazer e preso dentro de casa, Kale começa a observar diariamente a rotina dos vizinhos junto com seu amigo Ronnie e sua nova vizinha Ashley. Os jovens começam a desconfiar que um dos seus vizinhos é um serial killer, e precisam impedi-lo de cometer mais um assassinato. Mas quem vai dar confiança pra um stalker delinquênte?

Eu gostei de:
É um filme que prende a gente. Apesar de 80% da história acontecer dentro do quarto do Kale, não fiquei entediado por um segundo que fosse. É claro que na ~vida real~ nenhuma vizinhança é movimentada como a dele. Coisas acontecendo o tempo todo, gente chegando, gente saindo, gente matando. No meio do suspense todo, ainda rola um romancezinho, e um pouco de comédia. A trilha sonora também é muito boa! Tem uns bons rock, como todo filme com o Shia LeBeouf e numa das minhas cenas favoritas, toca até System of a Down. Os caras do SOAD são malas pra caramba pra liberar música pra soundtrack, mas depois de assistirem a cena, eles permitiram Lonely Day na soundtrack. Não sei se isso é 100% verdade. Só li na internet, rs.

Eu não curti:
Todo mundo diz que o filme é uma cópia mal feita de Janela Indiscreta, de 1954, e que depois que assistiu Paranóia, Alfred Hitchcock se revirou no túmulo, rs. Mas como eu NEM VI esse filme, isso não me afetou. Não sou desses, rs.
O que me irritou em Paranóia foi a falta de mistério. O suspense tá ali, na nossa cara, o filme inteiro. Mas o mistério é fraquinho. A gente logo deduz tudo e depois ficamos esperando o que vai acontecer. O final corrido também não é um dos melhores. Eu esperava um pouquinho mais.

Só uma espiadinha, rs
Mas e aí? Vale a pena?
A essa altura, acho que TODO MUNDO já deve ter assistido esse filme. Mas se você ainda não viu, vale a pena sim. É um blockbuster desses que agradam todo mundo se você decidir alugar (ou baixar) pra assistir com a galera. Nas locadoras já deve estar baratinho, então vale mais a pena ainda!

Você vai gostar se...
Se gosta de suspenses água com açucar, histórias de serial killer e Shia LeBeouf. E se você precisa melhorar suas técnicas pra stalkear, esse filme é pra você!

Em uma frase: Impossível falar o nome desse filme sem cantar a música da Rihanna :~

21/07/2011

New in Town

Recém-chegada
Ano: 2009
Com quem? Renée Zellweger (Chicago), Harry Connick Jr. (PS Eu Te Amo), Siobhan Fallon (Dogville) e J.K. Simmons (Juno)

É sobre o quê?
Lucy Hill é uma empresária ambiciosa que vive em Miami. Para puxar saco do chefe e "mostrar serviço" ela topa supervisionar uma filial da empresa em que trabalha, que fica em New Ulm - Minnesota. O que ela não sabia é que ela teria que MORAR na cidade, para avaliar a filial e despedir alguns funcionários ociosos.
Cilada bino! Pois a cidade tem só 13 mil habitantes, é fria pra porra e nenhuma roupa que Lucy tem no armário parece ser adequada na região rs.

Eu gostei de:
Por mais que eu nunca tenha sido gerente de uma grande empresa (rs), consegui me identificar com a personagem principal. Acredito que muitos já passaram pelo choque cultural pelo qual ela passou. Quem nunca foi parar (contra a vontade) em uma cidadezinha, com gente esquisita e muito boring? (Bom, eu já :P).
Também gostei dos personagens (os caipiras) da história, que mesmo sendo um pouco irritantes no início, vão aos poucos ganhando sua simpatia. A Reneé Zellwegger está bem divertida e ~crível~

Como vocês puderam perceber, não há nada que chame atenção neste filme.. 

Eu não curti:
A parte comédia não é muito boa não. O romântico é okay, mas as situações que são em teoria engraçadas, deixam um pouco a desejar. Os caipiras da cidade são mais engraçados que muita cena no filme (e parece que o roteiro conta mais com isso para fazer o humor). 
Também achei light demais... em termos de comédia romântica já vi outras muito melhores, ou mais interessantes pelo menos. Além disso, é bem previsível (assim como 90% das comédias românticas, né).

Vale a pena?
Olha até vale. Mas você tem que estar preparado para um filme beeeeem normal (se bem q eu até chorei). É o típico filme "não quero ter que pensar". É só para distrair mesmo, já que ele não é lá muito engraçado.
Tendo isso já em mente, então sim... vale à pena. Não é chato, não é entediante ou irritante.
(Alguém já viu "Minhas adoráveis Ex-namoradas" ou aquele filme da Angelina Jolie, que ela tem 7 dias de vida? Essas sim são comédias românticas fail).

É filme para ver com a família e tal, não para salvar no computador, para ver outra vez, rs.

Você vai gostar se... 
Se você gosta de comédias românticas bonitinhas, fáceis de entender e de assistir. Se você gosta de filmes sobre mulheres poderosas e caipiras na neve (quem gosta disso? rs). Enfim, se você gosta de matar o tempo vendo qualquer coisa na tv, este filme é para você.


Em uma dúvida:  
"O que houve com o rosto da Renee Zellwegger??"

20/07/2011

Desenrola


Desenrola
Ano: 2011
Com quem? Olivia Torres, Kayky Brito, Claudia Ohana, Marcelo Novaes, Letícia Spiller e Pedro Bial (!!!!!!).

É sobre o quê?
Um filme sobre coisinhas da adolescência. Priscila tem 16 anos e vai ficar sozinha em casa por 20 dias. Doida pra perder a virgindade, a garota resolve se entregar à paixão pelo irmão surfista de uma garota da classe dela. Só que Priscila é fofa e inocente, enquanto Rafa é o surfista mais galinha da cidade. Esse romance improvável acaba desencadeando um monte de situações típicas para os adolescentes. Virgindade, insegurança, gravidez e tudo isso que você já viu na Malhação.

Eu gostei de:
A estética do filme é muito bonita. Os efeitos visuais com um jeito teen (como os do cartaz do filme) estão presentes o tempo todo, e a história fica com uma cara bem legal. Melhor até do que alguns filmes adolescentes americanos que a gente vê por aí. O roteiro não é grande coisa, mas cumpre sua missão. Assim como em As Melhores Coisas do Mundo (que eu adorei), o comportamento dos jovens é mostrado sem frescuras. Eles falam palavrão, fazem piadas sobre sexo e tudo mais. Isso deixa o filme mais verdadeiro e é um ponto positivo. 

Eu não curti:
Ao mesmo tempo em que o filme mostra os "adolescentes de verdade" (os que falam palavrão rs), alguns personagens são construídos com uma mentalidade atrasada. A própria protagonista, Priscila, é uma infantilóide. A garota pensa em sexo o filme inteiro, não se aguentando de vontade de dar. Mas mantém um diário com colagens, bichinhos de pelúcia pelo quarto e se veste ASSIM:

ME EXPLIQUEM ESSA MEIA!!!!
Em 2004, no auge da Kelly Key, as meninas usavam boina jeans, saia pregueada e essas malditas meias listradas. Isso voltou e eu não fiquei sabendo? O figurino todo de Priscila é cafona demaaaais. Numa tentativa de mostrar o lado alegre da adolescência, eles transformaram os personagens em jovens caricatos que provavelmente vivem numa outra realidade. Achei péssimo.

Ruim também são algumas atuações. A Olivia Torres é uma fofa, e sua atuação convence mesmo. Mas o resto do elenco que interpreta os ~amigos dá escola~ dá dó de ver. Parece que acabaram de sair do cursinho de teatro e fica na cara que estão inseguros com a atuação. Sem querer ser mala, mas achei tudo muito forçado.

E, por último, acho que a homossexualidade do melhor amigo da Priscila deveria ter sido melhor explorada. Seria um tema legal pra mostrar em um filme adolescente nacional, e a roteirista deixou a oportunidade passar. (Ironia mesmo é o gay do filme se chamar Daniel Passi rs).

Mas e aí? Vale a pena?
Vale sim. Eu sei que esculhambei alguns pontos do filme, mas no fim das contas é divertido. Cheio de frases interessantes, questionamentos clássicos, piadas engraçadas. Claro que você não vai assistir ~~DESENROLA~~ com expectativas de encontrar uma obra prima nacional. Mas é legalzinho. É sim.

Você vai gostar se...
Se gosta de tramas adolescentes, essa coisa toda de virgindade e tal. Se curte Malhação, ou se gosta do Kayky Brito sem camisa.


Em uma frase: "Segundo o professor de Biologia, 70% do nosso corpo é água. Será que dá pra se afogar na gente?"

Black Swan

Cisne Negro
Ano: 2010
Com quem? Natalie Portman (New York, I Love You), Vincent Cassel (À Deriva), Mila Kunis (Forgetting Sarah Marshall).


É sobre o quê?
Nina é uma bailarina profissional que tem como aspiração o papel mais cobiçado entre suas colegas: fazer as duas partes principais (O Cisne Branco e o Cisne Negro) na apresentação de O Lago dos Cisnes. Para isso, Nina se submete a dedicar sua vida ao ballet, o que, por conseqüência, causa a ela uma obsessão com a autoperfeição. Cisne Negro mostra até onde nossa mente pode chegar pra alcançar nosso desejo mais desesperado.

Eu gostei de:
Gente, que filme é esse??/? Acho que nunca me arrependi tanto de ter demorado pra ver um filme. Sou meio suspeita de falar porque adoro esses filmes que envolvem obsessões e jogos mentais, mas esse me surpreendeu bastante. Gostei muito de todo o mistério, as confusões e as dúvidas que o filme te deixa, a trama, atuação e principalmente o fato de que mostra com muita clareza o que se passa na cabeça da pessoa com esses transtornos de obsessão. (((E vendo pelo lado da Psicologia boring, foi essencial mostrar o papel da mãe e o relacionamento entre elas. Explica tanta coisa!))) Genial.

Eu não curti:
O fim. Não o fim da história em si, achei fenomenal, mas acabou meio sem explicação lógica. É como se acabasse do mesmo jeito que começou, você nem percebe o que se passa (cientificamente). A gente consegue deduzir tudo, mas fica meio vago, até mesmo algumas coisas que acontecem durante o filme, e eu sou dessas que só se contenta quando entende toda a complexidade. Pra mim, isso deixa o filme comercial, o fato de não aprofundarem no tema principal, gosto de quando é mais específico. E confesso minhas afliçõezinhas com as partes com sangue, rs.

Mas e aí, vale a pena? 
Muito, muito mesmo. Não é daqueles filmes que se precisa de requisitos básicos para se entender. É um ótimo filme para se ver a qualquer momento e circunstâncias. Se está em dúvida, assista, eu o subestimei e me arrependi. Seu conceito pode cair um pouquinho se sofrer com gente se machucando (tipo eu, rs). É um filme forte, mas vale a pena.

Você vai gostar se...
Gosta de dramas, filmes com transtornos mentais, ballet e uma pitadinha de mistério. Não consigo falar muito desse filme sem denunciar tudo, então só digo que É MUITO BOM.


Em uma frase: "I'M THE SWAN QUEEN!" (óbvio, hahaha)



Uma dica: Para quem se interessa pelo assunto, procure saber mais do que os produtores quiseram passar, veja os extras e entrevistas e cenas adicionais. É muito interessante!

18/07/2011

Rango


Rango
Ano: 2011
Com quem? Vozes de: Johnny Depp (Piratas do Caribe), Isla Fisher (Os Delírios de Consumo de Becky Bloom) e Abigail Breslin (Zumbilândia).

É sobre o quê?
Rango é um lagarto doméstico que é deixado pra trás acidentalemente numa estrada no deserto. Sozinho numa terra descohecida, Rango chega em uma cidadezinha no velho oeste onde a falta de água está acabando com a esperança de todos os moradores. O lagarto é recebido como um herói, e precisa usar suas habilidades em atuação pra convencer todo mundo de que ele é realmente o badass do deserto, trazer a água de volta pra cidade e ainda conquistar a mocinha.

Eu gostei de:
Do Rango. Acima de tudo, o Rango conquistou. Ele é um personagem diferente de tudo que a gente vê em outras animações. Seu jeito caricato de falar e se movimentar deixam claro que é o Johnny Depp que está por trás de tudo. Em 2 minutos você já tá apaixonado pelo Rango, com aquela lábia barata de lagarto que ele tem. O legal do filme é que se trata de uma animação para adultos. Os personagens são feios demais, todos bizarros e muito freaks. Nada é fofo ou bonitinho. Uma animação pra assustar as crianças.

Outro ponto positivo é a narrative engraçada, interrompida sempre por 4 pássaros cantores de velho oeste, que ajudam quem está assistindo a entrar no clima da história. O filme é cheio de referências à história do cinema, e faz piada com alguns outros filmes. A trilha sonora é ótima, e fica melhor ainda nas cenas de perseguição. Um filme cheio de ação. Não tem como não se empolgar.

Eu não curti:
Acho que o filme demorou um pouquinho pra me empolgar. Até a metade eu estava achando meio chatinho. Tudo bege demais, sem graça demais. Apesar dos personagens serem ótimos, a história estava chatinha. O filme melhora, claro. Mas demorou um pouco.
Apesar da animação gráfica ser ótima recriando as texturas das peles dos animais, os ambientes e tudo mais, algumas coisas ficaram meio "mal acabadas" na minha opinião. As cenas com lama, por exemplo, são bem ruinzinhas. Em algumas partes até parece que o filme foi feito naqueles estúdios de animação amadores. Mas isso não é nada demais, rs. Tô só aproveitando a oportunidade pra ser um pouco mala.

Mas e aí? Vale a pena?
Claro que vale! Não é uma dessas animações com lições de vida que são engraçadas mas emocionam. Mas os personagens são tão cativantes (não só o Rango! O elenco quase todo, rs) que não tem como se arrepender. Um filmão de velho oeste que vai divertir todo mundo.

Você vai gostar se...
Se curte filmes de velho oeste, animações, Johnny Depp, largartos e bichos bizarros.

Em uma frase: Só eu que demorei pra entender a piada do Espírito do Oeste? rs

17/07/2011

Cry Wolf


Cry Wolf - O Jogo da Mentira
Ano: 2005
Com quem? Julian Morris (Operação Valquíria), Lindy Booth (Madrugada dos Mortos), Jared Padalecki (Supernatural) e Bon Jovi (o cantor mesmo, rs).

É sobre o quê?
Uma aluna de um desses colégios internos para jovens ricos é assassinada na floresta, e um grupo de amigos da escola resolve fazer uma brincadeira. Eles criam uma corrente por e-mail alertando os outros estudantes sobre um serial killer que teria sido o responsável pela morte da garota e agora planeja sair matando todo mundo. O assassino se chama "O Lobo" e tem características específicas, como a roupa, a arma, o jeito de andar etc. Só que é tudo inventado. Só uma brincadeirinha, rs.
Mas de repente coisas misteriosas começam a acontecer e o grupo de amigos teme que talvez O Lobo exista de verdade. Alguém está mentindo e todo mundo parece ser culpado. Quem é O LOBO? uuuuhhhhh

Eu gostei de:
Achei a história interessante. A mentira, o suspense, o jogo que faz os estudantes decidirem fazer o trote e tudo mais. O filme não tem nenhuma SUPER atuação. São adolescentes britânicos, ricos e bonitos. Não precisaram fazer muito esforço pro papel. Mas gostei de como o elenco é ~entrosado~ rs. Você realmente acredita que todo mundo ali é amigo, o que torna as suspeitas ainda maiores quando o suspense de verdade começa. Afinal, que iria trair uma amizade tão linda, né? rere

Eu não curti:
O filme tem um bom roteiro mas não impressiona muito. O suspense é fraco, e eu não fiquei surpreso de fato em momento algum. As cenas de perseguição são poucas, e quando acontecem, terminam logo. Não é o tipo de filme que te dá aflição e te faz elaborar teorias. Eu nem me preocupei em adivinhar quem estava por trás da bagunça toda. Eu só esperei as respostas e apesar de muita coisa que estava óbvia, acabei me surpreendendo no finalzinho (isso é um ponto positivo, rs).

Mas e aí? Vale a pena?
Existem filmes de suspense melhores, claro. Mas se você gosta do gênero e quer assistir tudo que pode, vale sim. Algumas cenas são bem engraçadas, pra dar uma quebrada no climão. E como não tem nenhuma ideia super inteligente por trás da história, não é o filme que exige toda a atenção. Bom pra ver com a galera, e ficar relacionando os personagens com seus amigos.

Você vai gostar se...
Se gostou de Sorority Row, se gosta desses filmes que mostram adolescentes fazendo merda e enfrentando as consequências de maneira perigosa, ou se gostava de Rebelde (risos).

Em uma frase: Ao fugir de um assassino na floresta, desligue o celular.