• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

31 de ago de 2011

VIPs

VIPs
Ano: 2010
Com quem? Wagner Moura (Tropa de Elite), Norival Rizzo (X-Tudo), Gisele Fróes (Amor em Quatro Atos), Juliano Cazarré (Assalto ao Banco Central).

É sobre o quê?
Marcelo (Wagner Moura) não consegue conviver com sua própria identidade. Desde cedo ele tem uma mania de imitar as pessoas ao seu redor. Com o sonho de se tornar um piloto de avião, ele foge de casa e sai pelo país, assumindo diferentes identidades e aplicando golpes. Um dos mais famosos (a história é real), é quando o cara se passa por um dono de uma companhia aérea.

Eu gostei de:
A história! É estilo um "Prenda-me se for capaz" brasileiro, e também é real (claro que com algumas cenas por mero efeito cinematográfico). O rapaz é muito cara de pau, vai empilhando uma mentira atrás da outra e realiza diversas façanhas que só alguém muuuito louco para ter essa coragem. Dá para dar umas risadas em vários momentos, também.

O Wagner Moura, claro, sempre apavorando. O cara é foda e carrega o filme todo...

Eu não curti:
Pelo que eu ouvi sobre a história, o filme poderia ser melhor. O roteiro em si é um pouco sem sal e não empolga tanto quanto poderia. A gente se envolve com o personagem, com as ideias dele... mas no fim a gente não sente muito com o filme... a maior parte do tempo a gente só dá umas risadinhas e comenta: "nossa, ele é muito cara de pau".

Vale à pena?
Como aconteceu mesmo... vale! É interessante, é improvável e diferente. Mas sei que tem um documentário sobre esse cara, então creio que deva ser bem mais interessante do que o filme. Uma amiga minha já viu e disse que é bem mais divertido, porque é possível ver o cara mesmo, contando a história! Fiquei com vontade...

Você vai gostar se...
Você curte histórias reais, histórias sobre golpes e filmes estilo "Prenda-me se for capaz" (que é mais legal por sinal). Se você gosta do Wagner Moura, também pode gostar desse filme também!

Em uma vontade: deve ser legal ler o livro

30 de ago de 2011

Greta

Greta
Ano: 2009
Com quem? Hilary Duff (Beleza no Mundo dos Negócios), Evan Ross (ATL), Michael Murphy (Manhattan) e Ellen Burstyn (Réquiem Para Um Sonho).

É sobre o quê?
Greta é uma menina de 17 anos com tendências suicidas e uma lista pronta de tudo que tem que fazer antes de se matar. Depois de arrumar encrenca com o terceiro marido da mãe, ela é mandada para a casa dos avós em Nova Jersey, para passar o verão longe dos problemas. Lá ela aprende muitas lições de vida e é obrigada a repensar sua "to do list" e até mesmo seus planos de suicídio.

Eu gostei de:
Acima de tudo, da direção de arte (kes). O filme tem uma cara muito bonita, e umas passagens de cena muito interessantes. Tudo com um estilo de scrapbooking, inspirado no diário onde Greta faz suas listas. É um desses diários bonitos, com colagens e desenhos legais que todo mundo quer ter, mas ninguém nunca tem paciência pra fazer. A atuação da Hilary Duff não é uma das suas melhores (eu gosto mesmo é de A Cinderella Story! rs), mas está interessante. É um personagem diferente do que eu estava acostumado a esperar da Hilary, e acho que é aí que mora o perigo.

Eu não curti:
MANO QUE FILME CHATO! PQP

Deixa eu me explicar: O filme não tem identidade nenhuma. Completamente perdido. Você vê esse cartaz aí em cima, pensa que é um teen movie desses bobinhos que a gente acaba curtindo no final. Mas ele tenta misturar drama pesado, histórias de suicídio, cadeia, um romance "proibido", lição de auto-ajuda e a porra toda. Só que NADA convence.
O parzinho da Hilary no filme é péssimo. O Chris Brown aos 16 anos, sem nenhum talento pra atuar. Ele só ia falando as frases, de um jeito solto, como se estivesse fazendo rap o tempo inteiro. E o romance entre os dois não cola. Não te faz torcer. Força a barra demais.
A protagonista é a adolescente mais mala do mundo. Em partes, o filme me lembra A Última Música. Aquela coisa da adolescente revoltada que muda de vida quando é mandada pra fora de casa no verão. Só que Greta é imatura demais, e antipática, e por mais que essa seja a verdadeira ideia que ela tem que passar (a ideia de ser insuportável), não acho que tem que ser assim. Greta não tem carisma nenhum, e durante o filme todo eu ficava olhando o relógio pra saber quanto tempo ainda restava. Mal sinal.
Sem contar no roteiro fraquíssimo, com cenas desconexas, e a história que parece redação de sétima série. BLARGH, ruim demais.

Mas e aí? Vale a pena?
Não gosto de dizer que não vale, porque posso estar impedindo que alguém veja um filme ótimo, afinal, cada um vê as coisas de um jeito. Então, pra não dar problema, vou me limitar a dizer que você não precisa sair por aí desesperado pra assistir logo. Greta pode esperar.

Você vai gostar se...
Se é fã da Hilary Duff. Porque todas as pessoas que eu vi que gostaram, são fãs dela. Não deve ter outra explicação.

Em uma frase: SE MATA LOGO MENINA, PFV.

29 de ago de 2011

Speak

O Silêncio de Melinda
Ano: 2004
Com quem? Kristen Stewart (The Runaways), Elizabeth Perkins (Weeds), Steve Zahn (Diário de um Banana), Hallee Hirsh (ER).

É sobre o quê?
Melinda era uma menina normal, cheia de amizades...feliz. Após uma festa no final do ano letivo, tudo muda. No início das aulas ela já não tem nenhuma amiga, sofre bullying de todo mundo, está apática e deprimida. Algo aconteceu naquela festa, mas Melinda não consegue contar a ninguém o que houve.

Eu gostei de:
Parece bem real. Bem possível. O que se passa com a Melinda pode passar com diversas outras adolescentes por aí. Há um mistério (um pouco previsível até) que deixa a gente instigado por boa parte do filme. É interessante ver como a menina segura a barra e não conta nada para ninguém. Ela não fica cheia de dramas pelos corredores, chorando pelos cantos, nem nada... ela simplesmente... aguenta...em silêncio.

Então a simpatia pela personagem faz o filme todo. 

Sabe como todo mundo enche o saco da Kristen Stewart por causa das sua limitada expressão facial? Então, nesse filme, essa característica dela foi essencial. Deu super certo ela como Melinda (se bem que eu sempre gostei dela, anyway). Conseguiu até tirar umas lágrimas de mim, sem ela sequer franzir a testa (achei legal).

Eu não curti:
Ao mesmo tempo que parece tudo muito real e possível... acaba sendo um pouco sem graça. Eu esperava um segredo bizarro, acontecimentos pesados e cheios de drama. Mas o propósito do filme era justamente ser o contrário... é que eu gosto de um dramão mesmo. Mas este não é.

Achei que o final podia ser um pouco melhor também.

Vale à pena?
Vale sim. Não vai mudar sua vida, mas talvez faça você refletir um pouco. Acho que este filme é bem interessante para meninas. Só que não é um filme que você tem que sair correndo para ver. Só deixo a dica de que é um filme bom e se um dia você esbarrar nele por aí, pode assistir que vai ser legal.

Você vai gostar se...
Você gosta de dramas realistas, sem exageros e que não estrague o seu dia. Se você gosta dessa temática de bullying, adolescentes em crise etc. Se você gosta da Kristen Stewart então você, querida fã de Crepúsculo, precisa ver esse filme. (a atuação dela nesse filme, dá um show na de Twilight).

Aliás, acho que é a melhor atuação da Kristen que eu vi até agora.

Em uma frase: ................................................................................

(sacou? é o ~silêncio~ de Melinda RS)

Ok, sério... em uma citação:


28 de ago de 2011

Fight Club

Clube da Luta
Ano: 1999
Com quem? Brad Pitt (O Curioso Caso de Benjamin Button), Edward Norton (O Ilusionista) e Helena Bonham Carter (O Discurso do Rei).

É sobre o quê?
Um homem desiludido com a vida, que não aguenta mais sofrer de insônia e odeia sua vida miserável, conhece o vendedor de sabão Tyler Durden. Juntos eles descobrem na luta, um jeito de aliviar a pressão da vida e começam a lutar um com o outro toda semana. Assim, só por diversão. Mas outros homens vão se interessando e descobrindo essa nova ~terapia~ e é formado um "Clube da Luta". A fama do clube se espalha, e ele vai abrindo várias filiais pela cidade inteira. Mas é aí que Marla Singer aparece. Uma mulher misteriosa que pode comprometer todo o segredo por trás dos Clubes da Luta.

Eu gostei de:
É difícil falar assim de um clássico, que todo mundo já deve ter visto. Todos os elogios que eu fizer aqui podem ser óbvios demais. Mas, lá vai:
O filme é foda demais. Não tem como discordar. O jeito do David Fincher de fazer cinema é muito diferente do que estamos acostumados, mas mesmo assim ele não é desses malas que fazem filmes ~experimentais~. É um cara mainstream com ideias diferentes.
A construção dos personagens é muito complexa, porém eles são muito bem apresentados. Por mais que pareça loucura o que alguns deles fazem (tipo começar a lutar no meio da rua só pra ficar com a cara toda machucada, rs) nada é absurdo. O roteiro é muito bem amarrado, e vai te puxando até o final, sem que você perceba.
É um filme feito de detalhes. Piadinhas que são jogadas num determinado momento e só vão fazer sentido depois. Cenas que alguns podem achar "desnecessárias" mas são responsáveis por ligar todo mundo na mesma história. Awesome.
O protagonista me lembrou um pouco o Wesley de O Procurado. Aquele jeito inconformado dele, e seus monólogos auto-depreciativos. Um dos principais pelas melhores quotes do cinema, sem dúvida.

"I am Jack's cold sweat"

Helena Bonham Carter também tá ótima. Não tem como não amar o trabalho dessa mulher! Não tem não.


Eu não curti:

Não ha muito o que não gostar. A não ser que você seja desses que tem nervosinho com cenas de sangue. Clube da Luta tem muito sangue, mas isso não foi problema pra mim, rs. Fora isso, nem consigo pensar em nada pra gongar. Screw this!

Mas e aí? Vale a pena?
Se você demorou tanto assim pra assistir (assim como eu, rs) não perca mais tempo! Filme dos bons. Pra ter em casa e ver de novo. Quero fazer isso em breve, pra assistir com a visão de quem já sabe o final, rs. É mais um desses filmes que te faz elaborar teorias sobre o desenrolar das coisas, e filmes que fazem pensar são sempre bons.

Você vai gostar se...
Se gosta de outros filmes do David Fincher (A Rede Social, Benjamin Button, Seven, etc). Se assim como o Vinnie, você curte um ~corpo a corpo~, vai adorar isso aqui. É muita porrada. No sentido literal e no figurado também!

Em uma foto gratuita do Brad Pitt e do Edward Norton:


27 de ago de 2011

Pizza-Delivery: links da semana #25


Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui no blog durante a semana. Não ganhamos nada com isso e estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.
Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás.
A gente entrega na sua casa!

Annie Hall
 → Link
Definitely Maybe 
→ Link
Trolljegeren 
→ Link
Green Lantern 
→ Nos cinemas desde 19 de Agosto
Prom 
→ Link
Melissa P. 
→ Link
Being John Malkovich 
→ Link

Being John Malkovich

Quero Ser John Malkovich
Ano: 1999
Com quem? John Cusack (Alta Fidelidade), Cameron Diaz (Professora Sem Classe), Ned Bellamy (Jogos Mortais), Catherine Keener (Na Natureza Selvagem), John Malkovich (Queime Depois de Ler) e Byrne Piven (Milagre na rua 34).


É sobre o quê? 
Craig Schwartz (John Cusack) é um marionetista desempregado que é sustentado pela esposa Lotte (Cameron Diaz), ambos vivem em um pequeno apartamento repleto de “animais de estimação”.
Depois de perceber que suas marionetes não dão dinheiro algum, Craig consegue um emprego em uma empresa no 7º e meio andar de um prédio comercial. Lá encontra uma porta escondida, que o leva até a mente do ator John Malkovich, onde pode permanecer durante 15 minutos. Impressionado com a descoberta, resolve alugar a passagem para outras pessoas.

Eu gostei de:
De tanta coisa legal que o filme tem. A história não tem pé, nem cabeça, mas é tão bem trabalhada que tudo parece normal. A sensação é que à qualquer momento você pode encontrar uma porta no canto da parede e entrar na mente de alguém.

Um das coisas que eu gostei muito foi da atuação da Cameron – FCKNG AMAZING – Diaz. Mesmo o personagem principal sendo do John Cusack, quem eu nunca gostei muito da atuação, a personagem Lotte rouba toda a atenção. Ela é muito amor, como o Vitor diria “uma trainwreck”.

Sim! É a Cameron Diaz!

Eu não curti:
Eu não tenho nada contra o John Cusack, ele até me surpreendeu em Quero Ser John Malkovich, mas ainda assim acho que ele tem uma atuação tão fraca. O personagem dele é chato em algumas partes, e só fica legal quando está interagindo com os outros. Até eu daria um soco em Craig Schwartz.

Vale a pena?
Bastante. O filme é mindblowing do início ao fim, e o roteiro é surreal tanto quanto a história. O Spike Jonze cresceu muito desde desse seu primeiro grande filme, ficou um diretor mais genial. O filme é fantástico, com atuações fantásticas, com uma história incrível. Até me arrisco a dizer que o desenrolar final da história é um dos melhores do cinema. Que final genial!

Você vai gostar se...
Já quis ser outra pessoa. Ou se gosta de bisbilhotar as mentes alheias, de biscastes heartbreakers, marionetes, dor nas costas, carecas, chimpanzés, ficção científica e outras coisas legais.

Quero Ser John Malkovich é um dos filmes que acho que toda equipe do Filmes e Pizza iria gostar.

Em uma frase: “Acho que sou transexual!”

26 de ago de 2011

Melissa P.

100 Escovadas Antes de Dormir
Ano: 2005
Com quem? María Valverde (Cracks), Fabrizia Sacchi (La prima cosa bella), Primo Reggiani (Baciami Ancora) e Geraldine Chaplin (Fale com Ela) sim, a filha do Chaplin!

É sobre o quê?
Este filme é inspirado no livro autobiográfico: "100 Escovadas Antes de Ir Para a Cama" (que eu não li, pra variar) e conta a história de Melissa, uma jovem de 15 anos, animada, sorridente e completamente apaixonada por um garoto de sua escola. 
Quando surge a oportunidade de ficar com esse menino numa festa, ele distorce a situação e a convence a fazer sexo oral nele. A partir de então, o garoto passa a se aproveitar da paixão da garota, para fazer o que bem entender com ela.

Sentindo-se humilhada por essas situações, Melissa passa então a procurar por prazer em toda essa humilhação.

Eu gostei de:
A Melissa é sensacional (e a atriz é muito boa). Nos primeiros 5 minutos já nos simpatizamos com a personagem. Quem já se apaixonou, consegue se identificar com o sentimento da menina, parece tudo muito real, muito possível... e aposto que muitas adolescentes se identificariam com ela.

A história é bem original (embora essa temática já esteja um pouco batida mesmo) e tem umas cenas bonitas, outras sensuais, algumas um pouco chocantes (mas nada muito pesado também). Fiquei vidrado o filme todo (e adoro ouvir gente falando italiano).

Outra coisa legal é que faz a gente pensar um pouco... dar uma refletida... mas isso depende de quem assiste. O filme em si não entrega essas reflexões numa bandeja para o espectador, só que se você for como eu, vai ficar pensando muito depois do filme acabar, rs.

Eu não curti:
Tem só 90 minutos. Acaba muito rápido, parece que há uma certa pressa. Então muita coisa parece superficial, e às vezes falta uma ligação melhor entre os eventos e o crescimento da personagem.

Acho que com mais uns 20 minutos de filme, seria possível dar mais drama e profundidade tanto para história, como para a protagonista.

Vale à pena?
Vale, claro! É bem interessante para quem está na fase de descoberta sexual, ou para quem teve essa fase um tanto conturbada, rs. É uma história bem sensível e boa para passar o tempo.
Já tenho vontade de ver outra vez... quem sabe com algum amigo, para discutir melhor depois.

Você vai gostar se...
Gosta dessa temática juventude vs. sexo e está cansado de assistir à Malhação, rs. Se você gostou de Bruna Surfistinha, por exemplo, é possível que curta este filme também. Ou simplesmente se você é um velho tarado!



Agora, se você leu o livro, é bem provável que odeie esta adaptação (estou lendo por aí que realmente deixa muito a desejar). Ainda bem que não li antes! (Mas agora estou com curiosidade para ler rs),

Em uma comparação: Melissa é tipo uma Lolita, só que mais biscate e menos manipuladora, rs.


25 de ago de 2011

Prom


A Melhor Festa do Ano
Ano: 2011
Com quem? Aimee Teegarden (Pânico 4), Thomas McDonell (Twelve - Vidas Sem Rumo), Danielle Campbell (Starstruck - Meu Namorado é Uma Superestrela) e Nicholas Braun (Sky High - Super Escola de Heróis).

É sobre o quê?
Nova Prescott é a presidente da turma, e responsável pela organização do baile de formatura. Depois de um acidente que acaba destruindo tudo que ela já tinha pronto, seus amigos estão ocupados demais para ajudá-la a arrumar tudo a tempo, e Nova se vê obrigada a aceitar a ajuda de Tyler, o bad-boy da escola. Paralelamente, o filme mostra a história de vários adolescentes da escola, e o jeito diferente com que cada um se prepara para a tão esperada Prom Night. Pedidos românticos, desespero dos que não tem um par e dramas envolvendo decisões importantes como faculdade, trabalho e futuro.


Eu gostei de:
Logo de cara, consegui relacionar o filme a outros dois filmes que eu gosto bastante. Primeiro, posso dizer que é uma versão adolescente de Simplesmente Amor (que é um dos meus favoritos. Sabe aquela coisa de mostrar várias histórias separadas, que no final acabam se ligando? Prom é mais ou menos assim.
O protagonista Tyler também me lembrou bastante o personagem do Heath Ledger em 10 Coisas Que Eu Odeio em Você. O cabelo grande, o jeito bad-ass, a moto etc. Boas referências, rs.
Apesar de serem muitas histórias ao mesmo tempo, o casal principal conseguiu chamar a minha atenção logo de cara. A Aimee Teegarden e o Thomas McDonell são muito carismáticos e é muito fácil "se importar" com eles (como o Vinnie costuma dizer). Você torce torce pela cena do beijo o tempo inteiro e não é todo casal de teen movie que consegue isso.

esses lindos rs
E outro ponto positivo em Prom é a trilha sonora INCRÍVEL! Bandas ótimas como Neon Trees, Simple Plan, Allstar Weekend, The Weepies, Moon... Músicas que deixam o filme bem mais "assistível".

Eu não curti:
A apresentação dos personagens é muito superficial. Como o filme conta várias situações ao mesmo tempo, não sobra tempo pra se aprofundar na história de cada um. Na tentativa de mostrar o mulherengo, o nerd sem par pro baile, a corna, o casal que namorou a vida toda, o feio, a gorda e todos os outros esteriótipos de ensino médio, o filme acaba não mostrando quase nada sobre ninguém.
Ah, e claro. Tem a clichezada toda (com direito àquela típica cena de "saindo pra experimentar vários vestidos" sabe?). Mas, como eu sempre digo, acredito que ninguém vá assistir ao ~novo teen movie da Disney~ esperando o roteiro mais original de todos os tempos. Então nem sei se "é clichê e previsível" é uma crítica válida para um filme como esses.

Mais e aí? Vale a pena?
Náo é nenhum FILMÃO, e também nem é engraçado. Mas é bom pra passar o tempo. É gostosinho, sei lá. Não achei palavra melhor. É como se fosse High School Musical 3, só que menos musical e menos gay.

Você vai gostar se...
Se gosta desses filmes bem teen, ou se curte filmes da Disney no geral. Vale esclarecer que esse não é um filme do Disney Channel. Foi feito pro cinema e tudo mais, então em termos de PRODUÇÃO, não é nenhum filmeco. É bem bom.

Em uma pergunta: P R O M ?

24 de ago de 2011

Green Lantern

Lanterna Verde
Ano: 2011
Com quem? Ryan Reynolds (Três Vezes Amor), Blake Lively (Gossip Girl), Peter Sarsgaard (A Órfã) e Mark Strong (Sherlok Holmes).

É sobre o quê?
No Planeta Oa um grupo de guardiões dividiu a galáxia em 3.600 setores e recrutou 3.600 guerreiros, um para ser o responsável por cada setor. Esses guerreiros são a Tropa dos Lanternas Verdes. Quando um monstro chamado Parallax (que se alimenta do medo das pessoas) consegue se libertar depois de ter passado milênios aprisionado, um humano é recrutado para se juntar aos Lanternas. Hal Jordan, um piloto de aviões irresponsável e fanfarrão é escolhido pelo anel, e precisa se comprometer com a tropa se quiser salvar o planeta Terra, porque Parallax tá chegando e ele não tá de brincadeira, rs.

Eu gostei de:
Eu sempre tenho essa tendência a gostar de filmes de heróis. Principalmente as sequências de "descobrimento dos poderes", os confrontos com o vilão principal do filme etc. Lanterna Verde segue bastante essa linha. É um filme engraçado (ri mais do que eu esperava) e o casal principal chama a sua atenção logo de cara. Quer dizer, é impossível não se apaixonar por Ryan Reynolds + Blake Lively juntos. É muito carisma nesse elenco, minha gente.
Os efeitos especiais e o 3D são bem interessantes. Tanto o Planeta Oa, quanto as ~peripércias~ que Hal Jordan cria a partir do poder do anel (quem já viu Liga da Justiça sabe do que eu tô falando hehe) são muito bem feitos, e as cenas de vôo na tela do cinema me levavam junto.

Eu não curti:
O filme estreou na sexta passada, e de lá pra cá, já deu praler um bocado de críticas pela internet colocando o filme lá no chão. Fui pro cinema achando que seria uma bosta e até esperei pra ver só hoje pra pagar mais barato no ingresso e não me arrepender tanto. #pobre
Antes de qualquer coisa, CALMA LÁ. Não é tão ruim assim. O povo gosta de fazer o crítico. Ainda mais quem é fã de HQ. Eu nunca li os quadrinhos, claro. Então não posso julgar o quesito "adaptação", mas muita gente falou que o filme é cheio de furos com a história original. Tem que ver isso aí.
Na minha opinião, o que leva o filme pro buraco é o roteiro mal encaminhado. Por mais que seja com filme cheio de aliens, a história acaba sendo HUMANA demais. Temos uma aproximação muito grande com Hal Jordan, seu romance, seus medos e inseguranças. É ótimo você ter essa proximidade com o protagonista, mas acho que todo mundo esperava ver MAIS Lanterna e MENOS Hal.
Com isso tudo, o filme passa uma boa parte fazendo piadinhas, criando climinha de amor, dando lição sobre coragem e perseverança, e o que é bom fica nas sobras. A grande batalha bem x mal, o confronto do herói com o vilão, a ação de verdade... Tudo isso fica espremido em 20 minutinhos muito ordinários. Mais um daqueles filmes que você termina com OPA? MAS JÁ ACABOU?

Não é um lixo como andam falando, mas poderia ser bem melhor.

My precious, rs.
Mas e aí? Vale a pena?
ENTÃO, vale sim. Por mais que não seja tudo aquilo que eu esperava, é um bom divertimento. Tem muita ação, romance pra quem gosta, efeitos bem fodas e tudo mais. Vale a pena pagar o ingresso pra assitir em 3D, na minha opinião. A viagem é bem loca kk
A cena pós-créditos (agora virou moda) já deixa Lanterna Verde 2 meio encaminhado, e na sequência que está confirmada, a franquia tem chances de se recuperar.

Você vai gostar se...
Se gosta de filmes de heróis, claro. Se curte ação, aliens, quadrinhos e se é daqueles que preferem a DC à Marvel. Não entendo, mas respeito rs.

Em um trocadilho bem escroto: De todos os filmes de herói em 2011, esse aí ficou na lanterninha.