7 de mai de 2012

Gone

12 Horas
Ano: 2012
Com quem? Amanda Seyfried (O Preço do Amanhã), Daniel Sunjata (O Diabo Veste Prada), Sebastian Stan (O Casamento de Rachel), Wes Bentley (Jogos Vorazes), Jennifer Carpenter (O Exorcismo de Emily Rose) e Emily Wickersham (Eu Sou O Número Quatro).
Diretor: Heitor Dhalia

É sobre o quê?
Após o desaparecimento repentino da irmã, Jill está certa de que quem está por trás desse sumiço é o mesmo serial killer que, dois anos antes, a sequestrou. Mesmo tendo “provas”, ela não consegue convencer a polícia sobre o sequestro e os riscos que sua irmã está correndo nas mãos de um psicopata desconhecido. Sem alternativa, parte em busca da irmã por conta própria.

Eu gostei de: 
Amanda Seyfried, apenas. Mentira, gostei da história também, mas nada consegue prender a nossa atenção além da atuação da Amanda Seyfriend. Essa linda nunca chamou muito minha atenção em termos de atuação. Todos os seus filmes que eu já assisti ela conseguia ser apenas a segunda melhor atriz do elenco, mesmo quando era protagonista rs.

Em “Gone” ela consegue provar algo, que já deve ter mostrado em “O Preço Do Amanhã” (mas como não assisti então não posso comentar), que é BAD-ASS. Se for preciso correr e atirar? Ela faz parecer natural e que qualquer um consegue virar detetive da noite para o dia. Tem que ser durona e encarar todo o resto do elenco até eles chorarem? Ela consegue fazer isso mesmo com essa carinha de filhote de gato:

Ela tem uma arma! Não é fofa? NHONHOMNHOM :-3
Muitas vezes escolher a atriz perfeita faz o filme crescer em termos de qualidade. O que poderia ser só correria e confusão vira uma espécie de drama com corrida de carro e tiros. Mesmo com o ritmo do filme sendo muito rápido, ela consegue atuar muito bem transitando do estado paranoico para o “heroína de blusa de frio”. Sem contar que enquanto o roteiro segue uma linha de raciocínio cheia de buracos e outros personagens enchedores-de-linguiça, ela está sempre focada no que tem que fazer: GET STUFF DONE!

#CONCENTRADA
Até nos momentos engraçados você se lembra de que a coisa é séria e essa mina loira e magrinha tem que sair correndo mais uma vez para salvar o dia da galera.

Eu não curti: 
Filme com erros no roteiro ninguém merece, né? Erros do tipo como esquecer personagens ou esquecer acontecimentos são as coisas mais bobas que alguém pode deixar acontecer em um filme tão legal como Gone. Tudo bem que elas não estragam o filme ou o fazem ser tão ruim que não mereça ser visto, mas é chato ver uma ideia tão legal se perder em um final muito ruim. A correria, as dúvidas, a protagonista louca gritando com todo mundo, mentindo, fazendo de tudo para resolver esse ~grande mistério~ para no final tudo terminar bem “zuado”. Gastaram tanto tempo em cenas da Amanda Seyfried correndo que não tinha como adicionar mais 10 minutos para dar um fim decente para esse filme tão legal.

Foto aleatória dela dormindo :-3
Vale a pena?
Sim. Apesar de o filme exagerar no mistério e prometer um grande final que na verdade é bem mixuruca, você não vai se arrepender de ver a Amandinha sambando na cara dos policiais. É ótimo assistir um thriller que tenta confundir nossa cabeça com flashbacks e mentirinhas de uma protagonista fatal que tem cara de garotinha de 17 anos. Chega a ser fofo ver essa mina correndo a cada 10 minutos no filme.

Você vai gostar se...
Gosta de confusão, correria e protagonistas loucas. Agora se você for do fã clube Seyfried você já deve amar “12 Horas” antes mesmo de ter ido ao cinema, né? Eu que não sou fã dela já amei só pelo trailer, rs.

Em uma hashtag: #CORRÃO



Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

Um comentário: