• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

29 de fev de 2012

Jack and Jill

Cada Um Tem A Gêmea Que Merece
Ano: 2011
Com quem? Adam Sandler (Gente Grande / Esposa de Mentirinha), Katie Holmes (Não Tenha Medo do Escuro), Al Pacino (Advogado do Diabo) e outros atores/celebridades que parecem ter sido obrigados a participar do filme.
Diretor: Dennis Dugan

É sobre o quê?
Jack Sadelstein tem grandes planos para sua família durante as férias. Antes que eles aconteçam ele tem que enfrentar o Jantar do dia Ação de Graças com sua irmã gêmea Jill, que é o ser mais inconveniente e irritante que ele conhece.

Eu gostei de:
(Oh gawd, why?)

Os filmes do Sandler, com roteiro do Sandler, são extremamente parecidos. A mesma ideia pastelona, os mesmos tipos de personagens e terminando do mesmo jeito. Há claro, exceções que vale a pena conferir como “O Paizão” “Um Maluco no Golfe” e “Como Se Fosse a Primeira Vez”, porém eles não compensam todo histórico de vergonha alheia do ator. Jack and Jill é mais um exemplo que ele deveria parar de fazer um filme a cada ano, porque assim seria mais fácil para ele pensar em piadas boas para usar em seus filmes.

O que nos faz sorrir durante todo o longa são as situações que Jill cria com seus comentários ridículos. E fica por aí. Coisas que nós sabemos que vão acontecer como animais irritantes, crianças esquisitas, esposa boazinha, puns, arrotos, quedas e choros só deixam o filme mais longo e mais chato. Eu estava quase preferindo um bate-papo da Blair de Gossip Girl com a Jill Sadelstein para ver quem faz a outra chorar primeiro. 


Mas quem salvou o filme foi o Al Pacino, que milagrosamente interpreta o próprio Al Pacino. Óbvio que os clichês sobre a carreira dele são mais do que explorados no filme, mas ele parece estar se divertindo tanto durante suas aparições que a gente quase acredita que o filme é bom. Ele merecia até um Oscar por sua participação.

Eu não curti:
Não é como se o filme tivesse a pretensão de ser genial, com piadas inovadoras e situações memoráveis. É um filme do Adam Sandler, ele não quer isso, né galera? A intenção aqui é aquele momento família em que você junta seu pai, sua mãe, sua tia chata, sua prima it-guél, seu irmão góstico e seu namorado, os arrasta para o cinema e ainda faz seus pais pagarem. Ou melhor, você faz um lindo download e assiste na TV de casa. É só essa a intenção do filme. PASSAR O TEMPO.


Por mais que o filme seja irritantemente engraçado, com cenas bobocas, piadas bestas, ele não pode ser o culpado por sua vida ser chata. Dá para rir um pouquinho (muito pouco), passar o tempo e continuar com sua vidinha. Não podemos culpar um homem por arranjar uma desculpa esfarrapada para se vestir de mulher, podemos? Ainda mais quando ele ganha dinheiro pelo mundo inteiro nas salas de cinema. Até recorde de indicações ele bateu com esse filme.

Vale a pena?
Vale sim. Se você quiser passar o tempo odiando bastante, rindo com sentimento de culpa por estar rindo e apoiando a cabeça com a mão, essa é a opção perfeita para isso. Não é um filme para se arrepender por ter assistido ao invés estar lendo um livro, mas também não quero que seja a opção de vocês. De longe, vocês podem coloca-lo na posição 499º na sua lista de 500 filmes para ver antes de morrer. Só vale conferir mesmo pelo Al Pacino mesmo.


Achou graça da piada do pintinho que não tinha canal retal? Sua web-celebridade-que-não-existe é a Xuxa-Verde? Gosta de marcar seus amigos no “Todo Mundo Tem Um Amigo” no Facebook? E, para concluir essa analise, assiste Pânico na TV e depois revê os episódios no YouTube? Se você respondeu ‘sim’ em duas dessas perguntas ou hesitou em dizer não, a conclusão é que você vai rir muito de Jack and Jill.

Você vai gostar se...
Gosta dos filmes da Turma do Didi e comédias pastelonas + stand-up ruim. E se é tão fã de Johnny Depp, mais tão fanático que quer ver o ator fazer uma aparição de dois minutos no filme.

Em uma escolha: a data de estreia de Jack and Jill coincidiu no mesmo dia do filme 11-11-11. Então se for para assistir um filme ruim você tem a opção de assistir um filme ruim com monstros.


Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

28 de fev de 2012

Requiem for a Dream

Réquiem para um Sonho
Ano: 2000
Com quem? Jared Leto (Psicopata Americano), Ellen Burstyn (O Exorcista), Jennifer Connelly (Uma Mente Brilhante), Marlon Wayans (As Branquelas), Christopher McDonald (Thelma e Louise).
Diretor: Darren Aronosfky

É sobre o quê?
Harry Goldfarb é um viciado que costuma aparecer na casa da mãe para roubar alguns itens e conseguir dinheiro. Ele, sua namorada Marion e seu melhor amigo Tyrone (também viciados) planejam ser bem sucedidos traficando drogas.

Enquanto isso, a mãe de Harry, Sara Goldfarb fica em casa completamente sozinha, assistindo televisão o dia todo. Um dia Sara recebe um telefonema dizendo que está convidada para  competir em um programa de auditório. Logo, este passa a ser o único objetivo de vida da mulher que, para ficar bonita no grande dia, começa a tomar uns comprimidos para ajudá-la a emagrecer e caber no seu antigo vestido vermelho.

Eu gostei de: 
PUTA QUE PARIU (pardon my french) mas que filme é esse? É daqueles filmes que todo mundo fala que é bom, mas por algum motivo eu fui adiando... adiando... até ontem.

Primeiro que a direção, edição e a fotografia são ótimas. Toda vez que algum personagem utilizava alguma substância, a gente era brindado com uma cena dessas (gif abaixo). Ou seja, parece tudo muito rápido e prático, de um jeito que não choca a quem assiste. Eu até pensei: "que legal eles não usarem aquelas cenas pesadas de consumo de droga, assim a gente não fica desconfortável..." (pff... coitado de mim).


O filme começa bem leve, mas pouco a pouco a tensão vai aumentando (exponencialmente até, rs), enquanto a gente começa a ver a ruína na vida dos personagens. E. essa. tensão. nunca. diminui. Isso porque acompanhamos o estado psicológico de cada um deles: suas ânsias, as neuras, as bad trips, a abstinência etc. E tudo de uma maneira bem eficiente, parece que estamos na mente dos personagens.

Claro que isso só funcionaria se as atuações fossem dignas e nos convencessem das coisas que aconteciam. E são. Principalmente a da Ellen Burstyn, a melhor deste filme, com a personagem mais cativante (e injustiçada) de todas.

injustiça foi ela ter perdido o Oscar pra Julia Roberts [x]

Sem falar nessa delícia de música que assombra a gente o tempo todo [x] (ouça depois do 2:55).

Eu não curti:
Eu só senti falta de um enredo que prendesse mais a nossa atenção e nos fizesse se importar realmente com os personagens (além da mãe de Harry). Parece que a gente só está vendo um festival sádico de como as drogas podem arruinar as pessoas (o que não é nenhuma novidade), não havendo muito um envolvimento sentimental pelos personagens (claro que eu queria chorar haha).

Só que a pegada do filme não era essa. Era simplesmente te dar um soco na cara e falar: "OLHA A MERDA QUE ELES ESTÃO FAZENDO! JÁ ERA, FODEU." (desculpem os palavrões hoje).

E vale a pena?
Muito, com certeza. É um filme que mesmo não tendo muito a ver com sua realidade, vai te deixar de cara. Pode estragar o seu dia, miar sua noite ou te deixar meio catatônico por alguns minutos. Não é algo que vai passar batido... ou que você deva assistir por acaso, como: "ah, aluguei este filme... parece legal, vamos ver?". Ele merece até um evento, do tipo: " vamos assistir Réquiem para um Sonho amanhã, passa lá em casa".

só mais uma imagem gratuita, rs

Você vai gostar se...
Gosta de filmes pesados e que chocam, mas não te esculhambam com imagens horrendas que fazem a gente ter que olhar para o lado (well, maybe). Se você curte esta temática sobre drogas, jovens, junkies e como isso pode estragar a vida de alguém etc (como Diário de um Adolescente, Trainspotting ou Christiane F.) você precisa ver este aqui. Ou se você é pai e quer dar uma assustada nos seus filhos, rs.


Em um comentário que não posso deixar de fazer: Este filme tem o final mais tenebroso (e de certa forma, lindo) que eu já vi. Por um momento eu esqueci de piscar, fechar a boca e engolir saliva (então imaginem a minha cara! rs).





Sobre o Autor:
Vinnie Vinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]

27 de fev de 2012

The Rules of Attraction

Regras da Atração
Ano: 2002
Com quem? James Van Der Beek (Dawson's Creek), Ian Somerhalder (The Vampire Diaries), Jessica Biel (Esquadrão Classe A) e Shannyn Sossamon (Coração de Cavaleiro).
Diretor: Roger Avary

É sobre o quê:
Paul é apaixonado por Sean, mas Sean é hétero e não dá a mínima pra Paul. O que Sean realmente quer é descobrir quem é a autora dos bilhetes roxos que ele recebe com frequência. Tudo indica que é Lauren, mas ela está afim de Victor, que está numa viagem pela Europa e ninguém sabe quando ele volta. No meio dessa bagunça de sentimentos entre jovens universitários, tem muito sexo, drogas e rock'n'roll. O que mais eu poderia querer?

Eu gostei de:
O roteiro (baseado no romance de Bret Easton Ellis que eu não li rs) é muito "honesto". O que nós vemos durante o filme inteiro é a realidade dos universitários. Festas, bebida, sexo, gente vomitando, punheta, meleca, etc. Nada é deixado de fora pro filme ficar bonitinho. Tá tudo ali, do jeito que realmente é. E os personagens são tão naturais que fica fácil demais acreditar nas histórias e dramas de cada um.

É um filme bem conceitual mas não é pedante. Cheio de cenas de trás pra frente, filosofia de bar, crises existenciais. Alguns desses conceitos eu nem entendi, mas achei a ideia de tudo bem interessante. Jogos de câmera diferentões, narrativas dinâmicas, cenas toscas (James Van Der Beek cagando like a boss) mas que no final das contas formam um filme gostoso e fácil de assistir.


Até porque, tudo que os jovens vivem durante o filme já aconteceu com você, ou com um amigo seu. Daí é mais legal ir vendo como os personagens vão lidar com problemas do dia a dia (tipo se apaixonar por um hétero que não está nem aí pra você rs).

Eu não curti:
Sabe quando um filme acaba e você sente que faltou alguma coisa? Então...
Não digo isso por conta do FINAL do filme em si (que, por sinal, achei bem legal). Mas eu queria me aproximar mais dos personagens. Queria ir mais fundo na personalidade de cada um. O filme acabou parecendo um episódio grandão de Skins, onde tudo tem que acontecer rápido demais e muitas coisas ficam sem justificativas.

Eles se apaixonam rápido demais, tomam decisões drásticas rápido demais, e fazem o maior drama justamente por essas coisas que aconteceram do nada. Às vezes é legal, mas às vezes irrita.

  
drama queens!

Mas e aí? Vale a pena?
Vale sim! Não é um filme pra ver com a família, claro. É cheio de peito, bunda, palavrão e putaria. Mas dá pra ver de boa com os amigos rs. O elenco é todo jovem, tem cenas divertidas (tipo aquela clássica do Ian Somerhalder dançando de cuequinha na cama), tem bastante drama, um pouquinho (bem pouquinho mesmo) de suspense. E a palavra FUCK repetida umas quatrocentas vezes. O filme segue a esquema jovens + sexo + drogas. Se você gosta disso, vai valer a pena pra você.

Você vai gostar se...
Se você curte Skins, se gosta de filmes que mostram a vida universitária americana mais zuada (sem aquela frescurada de fraternidades e tal rs). Se sempre teve uma quedinha pelo James Van der Beek na época de Dawson's Creek e se quer ver o Ian Somerhalder beijando rapazes.

♫ e vai descendo na boquinha da garrafa ... ♫

Em uma opinião: Acho ~Regras da Atração~ um nome bem cafona, bem auto-ajuda.




Sobre o Autor:
Vitor Vitor. Meu gosto pra filmes é uma bagunça. Curto dos mais clássicos aos mais zuados. Tudo depende do dia. Tem dia que acordo querendo ver carros explodindo e tiro pra todos os lados. Tem dia que estou no clima pra ver filme de mulherzinha, com roteiro batido e final feliz. Gente cult me mata de preguiça. [Perfil completo]

26 de fev de 2012

A Gente Não Postou... no Oscar 2012


Hoje à noite acontece a grande premiação do Oscar que alcança a sua 84ª edição este ano. Nós do Filmes e Pizza não poderíamos deixar passar batido então separamos para vocês as noticias mais interessantes para quem irá acompanhar todo o evento. Quer ficar por dentro das piadinhas internas nas entregas de prêmios, nas apresentações, homenagens e em todas as surpresas que podem acontecer? Então corre que as noticias estão mais engraçadas do que nunca!

O Oscar 2012 vai ao ar com o pré-show e red Carpet às 20h e cerimônia às 21h30 no canal brasileiro TNT, transmissão original pela ABC. Como somos legais vocês podem assistir online pelos links: aqui, aqui e aquiAproveitem e não se esqueçam de deixar as apostas de vocês nos comentários!

  • "The 84th Annual Academy Awards - Veja lista completa dos indicados" - IMDb
  • "'A Invenção de Hugo Cabret' lidera indicações ao Oscar" - Folha Ilustrada
  • "Sergio Mendes e Carlinhos Brown representam Brasil no Oscar com a canção 'Real in Rio'" - UOL Cinema
  • "OSCAR 2012: Ben Stiller é novamente convidado pela Academia" - Yahoo! Cinema
  • "84th Academy Awards – Foreign Language Directors" - We Are Movie Geeks
  • "Hugo Dominates; Tree of Life, Extremely Loud Shock 2012 Oscar Nominations" - MovieLine
  • "Animações 'Rio' e 'Tintin' ficam de fora do Oscar 2012" - Terra Cinema
  • "'Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2' concorre a 3 prêmios no Oscar 2012" - UOL Cinema
  • "Entenda o motivo de somente duas músicas terem sido indicadas como melhor canção original" - Rolling Stone Brasil
  • "Ryan Gosling's Oscar Oversight Explained" - MovieLine
  • "'Troco o Oscar pela paz de minha cidade', diz Carlinhos Brown" - Folha Ilustrada
  • "Place Your Bets: How Many Best Director Nominees Will Show Up For the Oscars?" - MovieLine
  • "Indicado a melhor animação, Chico & Rita tem participação brasileira" - Omelete
  • "Indicados ao Oscar já estão em cartaz; veja dias e horários" - Guia Folha
  • "Indicada ao Oscar por "Millennium", Rooney Mara diz que ficou ainda mais tímida depois das filmagens" - UOL Cinema
  • "Paramount To Re-Release Academy Award-Nominated RANGO Beginning on FRIDAY, JANUARY 27th" - We Are Movie Geeks
  • "Angelina Jolie e Penélope Cruz serão apresentadoras do Oscar" - Folha Ilustrada
  • "30 GIFs das caras de atores e atrizes perdendo o Oscar! - Papel Pop"
  • "Sacha Baron Cohen ironiza Academia por proibição no Oscar" - UOL Cinema
  • "O Globo de Ouro ainda é realmente uma prévia do Oscar?' - Terra Cinema
  • "Bradley Cooper To Present At 84th Academy Awards On February 26" - We Are Movie Geeks
  • "Posters Minimalistas dos indicados ao Oscar 2012" - BLCKDMNDS
  • "Tintim, DiCaprio e Fassbender integram 'os esquecidos' do Oscar 2012" - UOL Cinema
  • "Chris Rock To Present At 84th Academy Awards Oscar Sunday, February 26" - We Are Movie Geeks
  • "Veja um novo trecho do novo curta da Pixar, 'La Luna', animação está indicada ao Oscar deste ano" - Omelete
  • "Ryan Gosling fala da não indicação ao Oscar" - MTV Brasil
  • "Cerimônia do Oscar 2012 não terá apresentações ao vivo dos indicados a melhor canção original" - Omelete 
  • "Christopher Plummer Stokes Beginners Beef with Uggie: 'Our Dog Had Soul'" - MovieLine
  • "Estúdio divulga foto de Sacha Baron Cohen com ingressos para o Oscar" - Folha Ilustrada
  • "Quantos filmes que estão concorrendo ao Oscar 2012 são adaptações de livros?" - Literatortura
                             Leia as resenhas de todos os indicados ao Oscar de Melhor Filme:                                                





Confira a lista dos vencedores do Oscar 2012:

Melhor Diretor:


Melhor filme


Melhor atriz


Melhor ator


Melhor Fotografia


Melhor Direção de arte


Melhor Figurino


Melhor Maquiagem


Melhor filme em língua estrangeira

  • “Separação” – Irã

Melhor atriz coadjuvante


Melhor Edição


Melhor Edição de som


Melhor Mixagem de som


Melhor Documentário (longa-metragem)

  • “Undefeated”

Melhor animação


Melhor Efeitos visuais


Melhor Ator coadjuvante


Melhor Trilha sonora original


Melhor Canção original

  • “Man or Muppet”, de “Os Muppets”, música e letra de Bret McKenzie

Melhor Roteiro adaptado


Melhor roteiro original


Melhor Curta-metragem

  • “The Shore”

Melhor Documentário (curta-metragem)

  • “Saving Face”

Melhor Curta-metragem de animação

  • “The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore”

Até o Oscar do ano que vem... Quem sabe live direto do tapete vermelho em Hollywood, hein? :-D

Valkyrie

Operação Valquíria
Ano: 2008
Com quem? Tom Cruise (Vanilla Sky / Rain Man), Kenneth Branagh (Sete Dias com Marylin), Bill Nighy (Harry Potter), Tom Wilkinson (Brilho Enterno de Uma Mente Sem Lembranças), Thomas Kretschmann (O Procurado), Terence Stamp (Os Agentes do Destino) e Eddie Izzard (United States of Tara).
Diretor: Bryan Singer

É sobre o quê?
Baseado em acontecimentos reais, Valkyrie conta a história do golpe “Operação Valquíria” criado pelo Coronel Claus Von Stauffenberg (Tom Cruise) que visava libertar a Alemanha da ditadura nazista através de golpe de estado e limpar a sujeira que Adolf Hitler vinha espalhando.

Eu gostei de:
Quando no inicio de um filme aparece a assustadora frase “baseado em fatos reais” eu já me seguro na cadeira porque sei que vou sair do cinema amando ou odiado todas as famílias dos envolvidos. É muito difícil fazer um filme baseado em algo que realmente aconteceu conectar-se com o público, porque é a fantasia da possibilidade do cinema fazer tudo que encanta mais. É por isso que quanto mais mentira, melhor. (mas nem sempre, não vamos ser extremistas)

O que acontece um Valkyrie é um pouco dos dois. O golpe é um dos mais “bem-sucedidos” da história e também um dos menos conhecidos. A ideia de matar Hitler de maneira tão direta é assustadora, e bastante pretensiosa. O filme nos prende com o desenrolar do plano do Conorel Stauffenberg que está sempre firme e forte, lutando pela honra de seu país e o discurso que não vai desistir por nada. A equipe e o Coronel estão tão empenhados que a sensação é que a gente vai sendo arrastado junto e se pudéssemos pegávamos uma faca de cozinha cega e íamos nós mesmos matar o grande-monstro Führer.


Já para o lado da mágica do cinema, o plano parece ser fácil demais, divertido demais, a coisa mais legal do mundo. Muitas vezes sentimos sim uma tensão e um arrepio de imaginar tudo acontecendo de verdade, aquele frio na barriga quando as coisas começam a se complicar, mas no geral é como se estivéssemos assistindo ao Missão Impossível IV sem piadinhas, sem espiões sorrindo e com um assunto mais sério. Isso só não é ruim porque dá aquela pitadinha que todos nós queremos de escapar da realidade indo ao cinema. Pode não durar muito, porque o choque de realidade aqui é bem forte, mas ajuda bastante aproveitar o filme quando você só aprecia e não pensa que são fatos reais.

Eu não curti:
Nem tudo pode ser perfeito, então a culpa é sempre de quem? Do elenco, claro. As atuações são medíocres. Ninguém, nem os figurantes com cara de maricas nazistas, consegue ser o grande ator do longa-metragem. Eu diria que o mais próximo de uma grade atuação foi da linda Carice van Houten, que quase me arrancou umas lágrimas, mas infelizmente aparece pouquinho no filme.


Talvez os personagens sejam assim mesmo. Durões, frios, sem muita compaixão para quem assiste, deixando só espaço para nosso apoio moral e torcida de cheerleader para que tudo dê certo. Mas existe a opção também de se apaixonar pelo personagem do Tom Cruise por causa da postura dele, com aquele ar decisivo, ou pelo soldado ajudante do Coronel que vive com cara de cachorrinho esperando ordens do seu chefe. (Às vezes parece que ele tem até um crush pelo Tom Cruise rs)

Vale a pena?
Sim, sem dúvidas. Um das representações mais legais que eu já assisti do período da Segunda Guerra Mundial. O filme consegue prender a atenção como nenhum outro filme de ação bobinho consegue com sequenciais explosões de carros. A história e o fato de ser um acontecimento real, todo o trabalho e os detalhes cuidadosos fazem o filme ser imperdível.
Melhor que jogar WAR
Não há dúvidas também que esse ato heroico de tentar salvar a Alemanha do poder nazista e provar para o mundo que nem todos os alemães eram a favor das ideias insanas dos nazistas, já conta como ponto positivo para assistir ao longa. É algo que precisa ser conhecido por todos.

Você vai gostar se...
Gosta de dramas bem desenvolvidos e que predem sua atenção do começo ao fim. De filmes com histórias reais e que retratam a guerra de uma maneira diferente das que costumamos ver nos blockbusters da vida. Você também vai adorar se já quis voltar no tempo e dar UMA BOA LIÇÃO no Hitler. Eu já quis!

Em como eu fiquei depois do filme: chateadíssimo L



Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

25 de fev de 2012

Pizza-Delivery: links da semana #51



Links de download de todos os filmes que a gente postou aqui no blog durante a semana. Não ganhamos nada com isso e estamos apenas compartilhando links que já estão disponíveis na internet. Não nos responsabilizamos pelos downloads feitos pelos leitores e pelas maneiras como os filmes serão utilizados. Também não é nosso papel repôr links quebrados.

Pizza-Delivery rola aos sábado aqui no blog. Não precisa mais correr atrás.
A gente entrega na sua casa!

Só pra lembrar, os links agora estão sendo postados em Torrent, porque é bem mais durável e bem mais seguro. Bom final de semana. :-D

Don't Be Afraid of The Dark (Não Tenha Medo do Escuro) → Link
Extremely Loud and Incredibly Close (Tão Forte e Tão Perto) → Link
THX 1138 → Link
Cowboys & Aliens → Link
Hugo (A Invenção de Hugo Cabret) → Link
The Iron Lady (A Dama de Ferro) → Link
Rain Man → Link

[PROMOÇÃO] 1 Ano de Filmes e Pizza!


Nem dá pra acreditar que já faz um ano desde que o primeiro post do blog foi ao ar! Passou tão rapidinho, né? No começo era tudo muito humilde, os textos eram pequenos, e tal. Com o tempo a gente foi melhorando, deixamos os posts mais dinâmicos, melhoramos nossa escrita e hoje temos um formato de "crítica" que nenhum outro blog tem! A gente é sinistro, rs.

E pra comemorar, a gente preparou uma promoção incrível pra vocês. Os prêmios são ótimos e pra participar é fácil demais! Presta atenção:


Dessa vez nós estamos muito bonzinhos! Os vencedores podem levar: DVDs de filmes comentados aqui no blog, camisas do blog, caneca exclusiva e ecobags do Filmes e Pizza. Os prêmios vão ser distribuídos da seguinte maneira:
1º LUGAR: 2 DVDs + 1 caneca + 1 camisa + 1 ecobag
2º LUGAR: 2 DVDs + 1 camisa + 1 ecobag
3º LUGAR: 2 DVDs + 1 ecobag
Os vencedores poderão escolher quais desses filmes vão querer ganhar:

Lembrando que a ordem de preferência de escolha é sempre de quem tá na frente, rs.


Promoção encerrada, rs.


Finalmente vamos conhecer os vencedores da promoção :D Foram 586 leitores participantes e 3 números foram sorteados pelo site random.org. Os números sorteados foram: 


E, seguindo a ordem do sorteio (esquerda para a direita), aqui estão os ganhadores:


Vamos entrar em contato com Patrícia, Onã e Cleyton, e estes devem retornar o contato em 48 horas. Se isso não acontecer, vamos realizar um novo sorteio para escolher um novo ganhador.

Obrigado a todo mundo que participou. Em breve vem mais promoção por aí :D

Don't Be Afraid of The Dark

Não Tenha Medo do Escuro
Ano: 2010
Com quem? Bailee Madison (Esposa de Mentirinha), Katie Holmes (Batman Begins), Guy Pearce (Amnésia),
Diretor: Troy Nixey

É sobre o quê?
Sally tem os pais divorciados e um dia sua mãe a empurra para morar com o pai. O homem está namorando uma garota mais jovem e ambos trabalham com restauração de casas antigas, o que os fazem viver nestas casas até o fim da restauração. De mal com a vida e super entediada, Sally começa a explorar a propriedade... até começar a ouvir vozes amigáveis, chamando-a para brincar. Porém, as criaturas que conversam com ela parecem não ser tão amigáveis assim.

Eu gostei de: 
Antes de mais nada: Don't Be Afraid of The Dark tem o roteiro adaptado de um filme para a TV de 1973. E um dos responsáveis pela adaptação foi o Guillermo del Toro (just saying).

O filme tem um clima bem ~dark~ mesmo. Afinal, mansão antiga e vozes ecoando tem tudo para deixar a gente meio tenso. Esta atmosfera é consistente quase o filme inteiro, principalmente porque está sempre escuro naquela birosca. A história é fraquinha, mas não é nem um pouco chata. Dá vontade de saber o que vai acontecer com os personagens pois, querendo ou não, a gente acaba se importando com eles. Por falar nisso, a Bailee Madison (a idiota da Sally) parece ser uma atriz promissora, logo nos primeiros minutos vemos que ela não é só mais uma criança tosca de filme de terror (aliás, alguém lembra dela em Esposa de Mentirinha? Foi a melhor do filme).

s2

Gostei também de toda a parte de fantasia do filme. As criaturas aparecem mesmo durante e são muito bem feitas. E o que elas são de fato me fez curtir mais o filme (há vários detalhes interessantes, como o círculo de cogumelos no jardim etc). É diferente dos típicos filmes de monstros ou assombração, em que a gente não vê nada, ou dos filmes de psicopatas que mostram até demais. Achei Don't Be Afraid of The Dark bem inocente, mas não o suficiente para a gente não acabar levando uns sustos ou não levar a história a sério.

Eu não curti:
Bom, como eu disse, parece um filme inocente. Pra quem tá acostumado com tripas voando, muito sangue, canibalismo e serra elétrica (como toda nossa geração), pode ser um pouco fraco demais. Alguns momentos até lembram umas cenas do Toy Story, rs.

talvez seja fofice demais pra um filme "de horror"

Eu não curti também como as coisas foram apressadas lá pro final do filme, não deu pra ver um desenvolvimento melhor dos personagens, faltou um draminha a mais. Pelo começo do filme, eu estava mesmo esperando várias lágrimas durante a história, mas... como muitos do gênero, essas coisas foram meio superficiais. Guillermo del Toro é tão criativo, tão detalhista .. que decepcionou um pouco por não ter aprofundado mais em mitos, ou momentos mindfuck etc. Foi tudo muito mastigado e fácil de entender... bem hollywoodiano, né?

E vale a pena?
Até vale. É bem "Tela Quente". Não vai te dar pesadelos, nem te deixar chocado. Mas vai te segurar na atmosfera do terror por um bom tempo. Fora alguns sustos gratuitos que eu adoro, rs. Só que tem que entrar no clima do negócio e se deixar levar... Se na primeira cena que aparecem as criaturas você achá-las muito engraçadas: este filme não vai ser bom pra você, já vou avisando.

Você vai gostar se...
Gosta de filmes para passar o tempo. Se topa um horror light, criaturas fantásticas (de fantasia, saca? rs), crianças protagonistas etc. Se você não aguenta mais filmes como Jogos Mortais, O Albergue, A Centopeia Humana (não me leve a mal, eu adoro um gore) ou todos aqueles sucessores de A Bruxa de Blair que dominaram o gênero nos últimos 10 anos, este filme vai ser legal pra dar uma variada (mesmo não dando medo, rs).

Se você curtiu Rosered (do Stephen King) ou A Casa Amaldiçoada (aquela porcaria deliciosa com o Owen Wilson e a Zeta-Jones), vai curtir este aqui.

Em um comentário de programa de auditório: "Com licença Luciana... primeiramente boa tarde... Olha, eu acho que é muito fácil reclamar do filme, quando você só ficou sentado assistindo, queria ver se fosse com a sua família e tivessem essas coisas embaixo da sua cama...... é... aí eu queria ver".





Sobre o Autor:
Vinnie Vinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]

24 de fev de 2012

Extremely Loud and Incredibly Close

Tão Forte e Tão Perto
Ano: 2011
Com quem? Sandra Bullock (A Proposta), Tom Hanks (Sintonia do Amor), Viola Davis (Histórias Cruzadas), Max von Sydow (A Ilha do Medo) e Thomas Horn (é o primeiro filme dele).
Diretor: Stephen Daldry

É sobre o quê?
Oskar é um menino inteligente, muito curioso sobre tudo. O garoto era muito ligado ao pai, que morreu no atentado terrorista em 11 de Setembro. Um ano após a morte do pai, Oskar encontra em seu closet uma chave dentro de um envelope. Determinado a descobrir qual é o segredo da chave, Oskar percorre por toda Nova York atrás de pistas que seu pai pode ter deixado antes de morrer.

Eu gostei de:
O roteiro é bem original. Fico impressionado com o número de histórias diferentes que podem ser contadas a partir do 11 de Setembro. A aventura de Oskar nos prende ao filme. Em alguns momentos a gente até esquece o mistério da chave, porque as histórias de vida que o menino encontra no meio do caminho são mais interessantes. O jeito como ele vence suas inseguranças e muda sua personalidade nos chama a atenção.

A relação de Oskar com o pai é muito bonita e me deixou com vontade de ter um pai como Tom Hanks. Ele incentiva a curiosidade do filho, conta histórias de um jeito divertido, inventa brincadeiras só deles dois... Um paizão! rs

Nas atuações, quero destacar o Max von Sydow que, apesar de interpretar um mudo, passa muita emoção sem usar nenhuma palavra. Seu personagem é misterioso e sua atuação é excelente. E a Sandra Bullock está maravilhosa, interpretando como ninguém o sofrimento de uma mulher que perdeu o marido de um jeito tão trágico e uma mãe que tem que ver seu filho sair de casa todos os dias vestido desse jeito:


Muito sofrimento :~

Eu não curti:
O Oskar. Simples, rs.

Não é birra. Tô falando sério. Oskar é o personagem mais irritante da história do cinema. Ele é metido, arrogante, egoísta e chato pra caralho. A gente entende que o pai dele morreu, que os dois eram muito próximos, etc. Mas nada justifica as atitudes desse moleque.

De cara a gente cria uma antipatia inexplicável pelo menino e isso me atrapalhou um pouco durante o filme. Eu perdia o foco da história porque estava ocupado demais esperando que ele se desse mal. Oskar não é herói. Ele é um mala, e a minha vontade era que a chave dele caísse num bueiro e ele nunca descobrisse qual era o segredo, rs. E por que ele é assim? Porque o pai dele morreu? GUESS WHAT. MAIS DE 1.300 PESSOAS TAMBÉM MORRERAM.

Comecei odiando o garoto por motivos óbvios (como o jeito que ele trata a própria mãe) e durante o filme o ódio vai crescendo tanto que qualquer coisinha que ele fazia já me irritava. Seu jeito espertinho de ser, seu modo de falar tudo certinho, como se tivesse 40 anos, suas pesquisas, seu caderninho, seu pandeiro, seus ataques de pelanca.


Mas e aí? Vale a pena?
Vale sim. O filme está concorrendo ao Oscar 2012, e tem seus méritos. É um ótimo drama, está cheio de atuações excelentes e é uma aventura urbana interessante de assistir. Apesar da encheção de saco que é esse menino, vale apena suportar. Não é meu favorito na premiação, mas no fim das contas eu gostei bastante.

Você vai gostar se...
Se curte histórias de aventura, onde o protagonista vai conhecendo muita gente pelo caminho e aprendendo um pouco com cada um. Se gosta da cidade de Nova York, ou se gostava de ver Casos de Família quando o tema era "Odeio minha mãe porque ela é pobre" só pra ficar chocado com o fato de REALMENTE existir gente cruel assim no mundo.

Em uma nova sugestão de título: Extremely Mala and Incredibly Pedante




Sobre o Autor:
Vitor Vitor. Meu gosto pra filmes é uma bagunça. Curto dos mais clássicos aos mais zuados. Tudo depende do dia. Tem dia que acordo querendo ver carros explodindo e tiro pra todos os lados. Tem dia que estou no clima pra ver filme de mulherzinha, com roteiro batido e final feliz. Gente cult me mata de preguiça. [Perfil completo]