• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

31/08/2012

Wuthering Heights

O Morro dos Ventos Uivantes
Ano: 2011
Com quem? Kaya Scodelario (Skins / Furia Dos Titãns), Shannon Beer, James Howson e Solomon Glave.

Diretor: Andrea Arnold (Fish Tank)

É sobre o quê? 
Nova adaptação do romance clássico escrito por Emily Brontë, o filme conta a história de um pobre menino de passado desconhecido que é resgatado pela família Earnshaw, onde ele desenvolve uma forte relação com sua irmã adotiva Catherine. 

Eu gostei de: 
Nunca li "O Morro dos ventos Uivantes", mas já ouvi falar muito sobre o livro. Em algum ponto da minha vida me lembro de assistir alguma coisa de uma das adaptações para o cinema, mas foi há muito tempo. Como sabia que a história é forte e trata de um amor impossível, amaldiçoado, quis procurar um pouco mais sobre essa nova versão. Nela algumas coisas são diferentes e talvez não agradem outros como me agradou, por exemplo, na história original são duas gerações, mas nessa isso não é trabalhado; também é uma versão mais orgânica e menos melodramática; outra coisa que gostei e certeza que vai ser uma pedra no sapato da galera que se aventurar em assistir é o fato da diretora Andrea Arnold (também roteirista do filme) ter escolhido uma linguagem menos formal e mais coloquial, mesmo trabalhando mais com a imagem e muito pouco com falas. 

Como mencionei ali em cima, essa versão é mais orgânica, e o que quero é que as atuações não tentam levar a gente a lugar nenhum além do sentimento cru do amor. Assim como a fotografia é tremula, muitas vezes embaçada pelas gotas da chuva ou desfocada pelo movimento, os atores não são mais que sensações da história. Não é fácil assistir um filme que te faz sentir a chuva, o vento, o cheiro da terra, muito menos sentir a angustia dos personagens só pelo olhar. Sem dúvidas a direção em geral, principalmente a de fotografia, desenvolveu um trabalho impecável durante as longas duas horas de filme. E o elenco, relativamente desconhecido, não deixa a desejar em nenhum momento. Isso sem contar que todos os atores são jovens e “inexperientes”, se eu pudesse dar destaque a cada um deles eu ficaria escrevendo aqui por horas. Ao invés disso só tenho que dizer que a Kaya Scodelario, razão pela qual assisti ao filme, está mais linda do que nunca. 
♥ linda e talentosa aff  

Eu não curti: 
Por mais que tenha amado a fotografia, o elenco, a trilha sonora dos ventos uivantes (sério, metade da trilha sonora é o vento cantando “uuh” pelas árvores e janelas) não posso deixar de esclarecer que o filme é vago, absurdamente lento e confuso. Falta diálogos explicativos, cenas expressivas e menos enigmáticas. Acho que me deixei levar pela experiência sensorial que o filme causa e deixei mais de lado a trágica história de amor, considera uma das mais marcantes da literatura, assim amei fácil toda a produção. Porém não acharia um absurdo alguém comentar que o roteiro é ruim porque exclui detalhes importantes, acontecimentos cruciais e outras coisas. Se eu que não li sei disso, imagine quem leu? 


Também pode ser bem desagradável as cenas de crueldade com animais que o filme apresenta. Por mais que nenhum animal tenha sido machucado, é doloroso assistir explicitamente. O incomodo pode ser um ponto positivo já que a ideia é te passar alguma emoção, por mais que repulsa seja a escolhida, mas não é sempre que estamos dispostos a encarar cenas fortes contra animais indefesos. 


Vale a pena?
Não. Talvez você tenha se interessado pelos motivos errados (como eu pela Kaya Scondelario) ou esbarrou no filme e decidiu assistir, mas eu não indicaria para ninguém que eu não tivesse certeza que iria apreciar o que o filme tenta passar. Se você curte filmes que não saem do cenário de festivais e que nunca chegam aos cinemas norte/sul-americanos, talvez aí sim posso te indicar. Ou se você gosta dessa “reinvenção” dos filmes mudos aonde há mais cenas sem falas e com som ambiente que diálogos fortes (porque não há nada mais forte que um olhar profundo, né?). Resumindo: só indico para quem achar a imagem abaixo espetacular. 

OLHA ESSA PAISAGEM!!!
Você vai gostar se...
Gosta de lindas paisagens e um forte elenco. Se leu “O Morro dos Ventos Uivantes” também pode simpatizar com essa versão bastante diferente dos filmes anteriores e se você for fã da Kaya Scodelario e sabe que ela merece mais e mais papéis em filme grandiosos essa é a sua chance de ver a melhor performance da atriz em uma produção emocionante e épica (na minha humilde opinião). 

Em uma música feita pela minha banda de folk favorita que arrepia até os ossos:




Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

30/08/2012

Todo mundo adora uma lista #27: Eles merecem mais destaque.

Na lista dessa semana vamos falar sobre atores que todo mundo conhece, mas que não tem o destaque que merecem. Atores bons, conhecidos, carismáticos, mas que por algum motivo obscuro não tiveram o reconhecimento adequado. Vem comigo gente :)


Christina Ricci
Desde criança ela arrebenta em suas atuações (tipo, Wednesday Addams é uma das personagens mais fodas do cinema, pfv) mas hoje em dia, raramente consegue um papel que a galera fale: ‘WOOOOOW’. Povão sabe quem ela é, gosta dela, massss.. ainda não é o tanto que ela merece. Tamo junto irmã, tamo a fé!


Joel Edgerton
O cara já fez vários filmes conhecidos, porém em papéis pequenos e mandou MUITO bem naquele filme ‘Guerreiro’ (que por sinal, não teve tanto reconhecimento aqui no Brasil). O cara é muito bom, sabe dosar sua atuação sem parecer muito forçado e merece com certeza mais destaque. Está filmando alguns filmes no momento, inclusive um drama produzido pela Disney que deve ser lindooooo, ‘A Estranha Vida de Timothy Green’, vamos ver....


Juno Temple
Ela é daquelas atrizes que faz papel de vagabunda com tanta naturalidade que nos perguntamos se ela realmente não é uma. Juno ta meio que indo de levinho, como quem não quer nada, com papéis principais em filmes mais ‘cult’, e já ta abocanhando papéis pequenos em produções humildes, tipo ‘Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge’. Vamos ver se essa ai vinga, né?


Garrett Hedlund
O cara já teve alguns papéis principais, tipo em ‘Tron: O Legado’ e ‘Na Estrada’, mas sei lá.. são filmes que não tiveram taaaaanto ~~burburinho~~.  O cara é bom, bonito, tem tudo que Hollywood gosta.. vai enteder...


Noomi Rapace
Ela começou arrebentando na versão sueca de ‘Os Homens que Não Amavam as Mulheres’, e já está ganhando Hollywood. Fez uma participação no ótimo (só que não) Sherlock Holmes 2 e abocanhou o papel principal em ‘Prometheus’. Ela ta que ta indo, acho ela bem boa só que ta sendo muito mal aproveita. Ela daria uma ótima heroína de filmes de ação e tal.. nosss, ia matar a pau!


Armie Hammer
O cara mandou muito bem em ‘A Rede Social’ interpretando gêmeos. Oi? Não, não são dois atores diferentes..  Oi? Sim, é só ele mesmo! Hahaha.. É uma pena que os dois filmes que estrearam com ele este ano foram dois filmes inexpressivos: ‘J Edgar’ e aquele afronte a inteligência humana chamado ‘Espelho, Espelho Meu...’.


Juliette Lewis
Uma das maiores e melhores atrizes dos últimos tempos. A mulher consegue fazer qualquer tipo de papel, de assassina psicopata à doente apaixonada. Ela é ótima, ela é um amor, ela é uma linda... mas totalmente esquecida! Vive fazendo ponta em comediazinhas românticas como melhor amiga da protagonista, e só.. QUEREMOS MAIS JULIETTE, É PEDIR DEMAIS?


Guy Pearce
O cara já fez muitos, muuuuuitos filmes, de diversos orçamentos e pra diversos tipos de público. Só que o cara nunca teve seu nome exaltado em um pôster, num trailer, nunca o cara da Tela Quente falou que o filme da noite era estrelado por ele.. sei lá.. tem coisa errada ai!


Cobie Smulders
Ela é mais conhecida como a <3 <3 Robin <3 <3 da série ‘How I Met Your Mother’, e tipo, além de linda, simpática, a moça é carisma puro! Uma ótima atriz que sabe fazer drama, sabe fazer comédia e sabe ser gostosa.. gente, kd essa mulher nas nossas telas IMAX 3D??


Michael C. Hall
Super conhecido no mundo televisivo, mas pouquíssimo conhecido no mundo cinematográfico. Da pra contar seus filmes nos dedos e da pra contar também quantos deles fizeram sucesso.. PORRA, O CARA É O DEXTER! O cara é um ator monstruoso, o cara é carismático e melhor que muito atorzinho ruim que ta por ai bombando e fazendo papel de super herói.. só dizendo.



Sobre o Autor:
Victor Victor. Assisto de tudo desde que não tenha animais falantes. Encaro o cinema como arte quando é necessário e fico com os olhos brilhando ao ver o caos, a gritaria e a barulheira de uma cidade grande sendo destruída na telona. [Perfil completo]

29/08/2012

O Palhaço

O Palhaço
Ano: 2011
Com quem? Selton Mello (Lisbela e o Prisioneiro), Paulo José (Capitu) e Larissa Manoela (a s2 Maria Joaquina s2 de Carrosel).
Direção: Selton Mello

É sobre o quê?
Benjamin e Valdemar são pai e filho, donos do Circo Esperança, que viaja pelas cidades do interior levando seu espetáculo. Os dois formam a dupla de palhaços Puro Sangue e Pangaré. Acontece que Benjamin está em crise, porque sua profissão é fazer os outros sorrirem, mas não tem ninguém que o faça sorrir (i know that feel bro).

Eu gostei de:
O filme tem uma ideia muito legal. A perspectiva que o filme tem, de mostrar o lado infeliz da vida do palhaço me interessou bastante. Porque a vida do cara era uma grande bosta, e ele tinha que ser feliz e fazer todo mundo rir, todo dia. Uma rotina bem irritante.

Eu adoro o Selton Mello, então pra gostar do seu personagem Benjamin, foi rápido demais. O jeito meio abobado de atuar e a bipolaridade do palhaço me conquistaram desde o começo. 

vida de palhaço n tá fácil
O caminho que o roteiro toma acabou me surpreendendo, e o filme foi aos poucos me preparando para um final lindão e muito cativante. E eu não vou falar mais nada, pra não entregar a paçoca.

Eu não curti:
ENTÃO, o filme tem menos de uma hora e meia. E, na minha opinião, o grande problema é que durante 50 minutos não. acontece. nada. O roteiro nesse "começo" de filme é parado, irritante e irrelevante. Os personagens que trabalham no circo são mal explorados, não sabemos nada de ninguém. Tudo é muito solto e, dessa forma, fica meio difícil se interessar pelo resto do elenco.

socorro, esse cara da esquerda :O
Sem contar que o filme ainda tem toda uma metáfora (que eu não tenho certeza se entendi) sobre ventiladores e tal, e essa história fica perdida dentro dessa roteiro tão curto, que tenta dizer tanta coisa e no final das contas diz quase nada.

Mas e aí? Vale a pena?
Eu esperava muito mais, daí quebrei a cara. Não é um filme ruim, mas também não é um filme "muito lindo e emocionante" como muita gente me falou. Esse é um exemplo do modelo clássico de filme que é bom, mas até ficar com demora muito.

Você vai gostar se...
Se você gosta do Selton Mello é uma boa oportunidade pra ver o cara dominando um filme com um protagonista interessante. Ele como diretor foi fraco, mas como ator tá de parabéns. Se gosta de filmes nacionais que se passam no interiorzão, e se curte esse lado misterioso e melancólico dos palhaços.

Em uma observação: No filme existe uma cena em que o Selton Mello conversa com o Danton Mello, e parecia um monólogo porque os dois. tem. a. mesma. voz.



Sobre o Autor:
Vitor Vitor. Meu gosto pra filmes é uma bagunça. Curto dos mais clássicos aos mais zuados. Tudo depende do dia. Tem dia que acordo querendo ver carros explodindo e tiro pra todos os lados. Tem dia que estou no clima pra ver filme de mulherzinha, com roteiro batido e final feliz. Gente cult me mata de preguiça. [Perfil completo]

28/08/2012

Paul

Paul
Ano: 2011
Com quem? Simon Pegg (Missão Impossível: Protocolo Fantasma), Nick Frost (Todo Mundo Quase Morto), Seth Rogen (50/50), Kristen Wiig (Missão Madrinha de Casamento), Jason Bateman (Eu queria ter sua Vida), Bill Hader (é o melhor do SNL rs).

Direção: Greg Mottola (Superbad).

É sobre o quê?
Graeme e Clive são dois amigos, geeks e ingleses, que viajam para os Estados Unidos para participar da Comic-Con e fazer um tour por lugares turísticos e conhecidos por suas histórias de alienígenas e UFOs. No caminho, os caras se deparam com Paul, um ET que acabou de escapar da famosa Área 51.

Eu gostei de:
Olha, eu não estava dando muita moral pra este filme. São os mesmos roteiristas e protagonistas do Shaun of The Dead, que dizem ser ótimo, mas como eu não assisti (AINDA), não sabia o que esperar de Paul. Pensava que era daquelas stoner-comedy bem fuleira, mas não é não.

Claro que um filme sobre um ET e dois geeks não é pra ser levado a sério, mas também não subestima a nossa inteligência. Achei o roteiro bem escrito, com ótimos diálogos, personagens carismáticos e piadas para qualquer nerdão se identificar. Bem britânico, rs. O filme também fala muito sobre religião e seus fanáticos, sobre ateísmo e sobre "o desconhecido". Bem válido, principalmente porque a linda da Kristen Wiig faz o papel de uma destas beatas alienadas, adorei, rs.


E o Paul foi (pra minha surpresa) o mais legal disso tudo. Todo inteligentão, sarcástico e pronto pra satirizar o estilo de vida americano, semelhante àquele ET do American Dad, só que menos irritante e mais simpático. Eu sempre tive medo destes aliens cabeçudinhos, mas como não amar este aqui?



Eu não curti:
Bom, o filme é engraçado, mas eu percebi que perdi algumas das piadas mais específicas (sou nerd, mas não sou muito de sci-fi, sabe) e acredito que as pessoas mais ~normais~ possam perder mais ainda. 

"Quem sou eu? Quem sou eu?"

Outra coisa a falar é que não há nada muito marcante no filme. Rolam várias risadinhas o tempo todo, o suficiente para você curtir a coisa do começo ao fim, mas nada que te faça falar: "lembra no Paul, quando o cara vai no...." etc. É divertido, mas não é hilário.

E vale a pena?
Vale sim! Comédia boa é uma coisa difícil de se achar hoje em dia. Alguns filmes tem momentos muito bons e ótimas premissas, mas geralmente a história é imbecil demais, ou tem vários momentos boring, ou com piadas frustradas.

Paul não vai ser a coisa mais engraçada que vc já viu. Mas vai te divertir sem parar, deixa a gente com um sorriso constante no rosto rs (aproveita que tá passando em algum Telecine aí).

Você vai gostar se...
Se você é nerd, geek ou o que a molecada anda chamando hoje em dia.. Se você curte ETs, Comic-Con, quadrinhos, sci-fi ou simplesmente comédias que não apelam e que ficam entre o idiota e o inteligente, rs.

Em uma imagem que precisa virar camiseta/caneca:


Quem sabe a gente não sorteia no blog?





Sobre o Autor:
VinnieVinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]

27/08/2012

Yes Man

Sim Senhor 
Ano: 2008
Com quem? Jim Carrey (Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças), Zooey Deschanel (Maníaco), Brandley Cooper (Sem Limites), Terence Stamp (Operação Valquíria) e John Michael Higgins (Professora Sem Classe). 

Diretor: Peyton Reed (Separados Pelo Casamento)


É sobre o quê? 
Carl está na bad vibe por muito tempo. Não sai mais com os amigos, não se esforça no trabalho, não se diverte em nenhuma maneira possível. Ele abraçou uma personalidade pessimista e tudo na sua vida é regido pela negação, porém isso tudo muda quando ele vai à palestra do mestre do positivismo aonde ele aprende que dizer “SIM” para tudo na vida é muito mais ~~~emocionante~~~. 

Eu gostei de: 
“Sim Senhor” é uma combinação perfeita de tudo que o Jim Carrey já fez durante sua carreira. O bom humor do ator está na sua melhor forma e consegue nos fazer rir igual antigamente quando nada fazia sentido em seus filmes e a gente só se importava com suas caretas. No começo é difícil engolir a história porque você nunca espera nada sério do Jim Carrey. Graças à Deus a suposta seriedade não dura muito e tudo fica insanamente hilário. J.C., para os íntimos rs, consegue arrancar gargalhadas das melhores maneiras possíveis, ou das maneiras mais bizarras também. Vamos dizer que J.C. é tão poderoso quanto J.C., só que mundo da comédia. 

E o que falta para completar o que o Jim Carrey faz de melhor? Uma atriz coadjuvante bonita e talentosa. Já tivemos Jennifer Aniston, Téa Leoni, Rénée Zellweger, Laura Linney e muitas outras, mas nenhuma delas apresentava a formula do amor mais puro: o estilo fofo-hipster de Zooey Deschanel!

 ♪ ♫  WHORE NO MORE   ♪ ♫ 

Dessa vez ela leva o fofismo a outro patamar. Sua personagem Allison é radical. Ou pelo menos tenta ser. Vivendo no lado selvagem da vida, fazendo tudo o que quer, dirigindo estilo Velozes & Furiosos, você consegue imaginar algo mais fofo que alguém que tem carinha de filhote abandonado tentando parecer inconsequente e aventureira? Sem contar que entre a Zooey Deschanel e o Jim Carrey existe uma química muito forte. Parece que ambos nasceram para atuar juntos, é o balanceamento perfeito para uma comédia romântica. Acho até que prefiro os dois a Zooey + Joseph. Desculpe sociedade.



Eu não curti: 
Por mais que você consiga rir bastante durante uma hora e meia, o filme irrita bastante. Como vocês devem imaginar é tudo um clichêzão misturado com pequenos clichês, e para não ficar apenas com meia-hora de cenas interessantes o roteiro enche linguiça como se não houvesse açougue amanhã. Os pontos críticos da história estão separados por várias cenas sem muita graça, e as cenas mais engraçadas são cortadas por cenas dos outros atores na tentativa de fazer o filme ser consistente. Conversinhas de outros personagens, com outros personagens, conversas longas demais irritam demais, eu só queria Jim+Zooey. Cortem todo o resto e vejam a qualidade do filme subir. 


Vale a pena?
Claro. “Sim Senhor” é uma delicinha que merece ser assistida todos os domingos durante um ano. O roteiro é fraco, mas existem cenas que fazem o filme ser imperdível, uma delas é a famosa cena da festa a fantasia do Harry Potter. Agora, se você for assistir ao filme sem muita expectativa (né?), vai encontrar outras cenas mais legais e engraçadas. Muitas delas envolvem a melhor trilha sonora de todos os filmes de comédia do Jim Carrey.

 ♪ ♫ You met my friend Ian? He's a computer hacker. He helped me erase your MySpace page, and your band's MySpace page, and your FaceBook page. Happy networking asshole!   ♪ ♫ 

E se não já não fosse suficiente amar com todas as nossas forças a Zooey, tenho uma teoria que foi em “Sim Senhor” que tiraram a ideia para inventar o Instagram. Assistam e entenderão. 

Você vai gostar se...
Adora rir de besteirinhas, gosta dos filmes do Jim Carrey onde ele é sempre o mesmo personagem, dos filmes com o Terence Stamp onde ele é o mesmo personagem ou filmez da Zooey Deschanel onde ela é a mesma personagem. É tudo mais do mesmo, mas é tudo um amorzinho e engraçado, mas são pequenas coisas como as caretas do Jim Carrey e a voz cansada da Zooey e a trilha sonora que fazem o filme ser inesquecível. 


Em um casamento dos sonhos:
CASEM PRFVR!



Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

26/08/2012

Manic

Maníaco
Ano: 2001
Com quem? Joseph Gordon-Levitt (A Origem / O Cavaleiro das Trevas Ressurge), Zooey Deschanel (500 Dias com Ela), Don Cheadle (Crash - No Limite), Michael Bacall (Project X), Elden Henson (Efeito Borboleta).

Direção: Jordan Melamed (só este, rs).

É sobre o quê?
Após um surto violento, Lyle é internado em na ala juvenil de um hospício. Lá, ele vai conhecer outros jovens como ele, perturbados e discriminados tanto pela sociedade, quanto por suas famílias.

Eu gostei de:
Bom, eu adoro filmes de hospício, filmes com gente louca etc. E Manic se passa inteiro neste ambiente. :). A filmagem é feita com uma câmera bem amadora e ninguém usa maquiagem nem nada. Parece bem real.

Eu curti por ter vários personagens bem diferentes um do outro, cada um com um problema específico. Tem os revoltados, os infelizes, os sociopatas, os esquisitos e os completamente lelés (kes). Dá pra se identificar  muito com alguuns, e odiar totalmente outros, rs.

Eu gostei muito do protagonista, o personagem é enigmático, sangue-nos-zóio, mas sacamos que ele tem um coração bom. Joseph Gordon-Levitt manda muito bem no papel e acho que este filme foi perfeito para ele se diferenciar do papel cômico em 30 Rock from the Sun.

Também faço drama mano

A Zooey Deschanel está ótima também. É o primeiro papel que eu pude vê-la sendo algo que não uma hipster-fofa-esquisitinha. Totalmente deprimida e sofrida, coitada. Mas sem ser irritante e dramática.

Todos nós Zooey, todos nós...

Eu não curti:
Eu adorei o filme como um todo. Mas algo ficou faltando para ser BOOM, favorito. Por ter vários personagens, não dá pra se aprofundar muito nas histórias deles... e a gente acaba vendo muito potencial pouco aproveitado. Muitas vezes dá a impressão que a galera é um bando de rebelde, babaca que tem que apanhar na cara rs.

Além disso, a gente acaba sentindo que conhece pouco do protagonista. Rolam apenas alguns flashbacks e no fundo não sabemos o que se passa na cabeça dele (e poderia ter muita, muita coisa). Manic conta apenas aquele estágio da vida dos garotos, aquele momento específico no hospital... mas eu queria mais história, mais acontecimentos, ou mais explicações (seria perfeito se rolasse uma narração em primeira pessoa, estilo Garota Interrompida).

E vale a pena?
Vale! É um ótimo drama, com muito sangue, porrada, música e gente estranha. Como não gostar? O elenco inteiro atua muito bem. Don Cheadle também está excelente, bem como os coadjuvantes. A história tem bastante tensão e momentos mais emotivos (aka, eu chorei rs).

Você vai gostar se...
Gosta de filmes com temáticas semelhantes, estilo Garota, Interrompida, Diário de um Adolescente, Skins etc. Se você curte o nosso artista do mês, saibam que o Joe tá apavorando neste filme, quase tão bom quanto em Mysterious Skin. E a Zooey Deschanel tá perfeita também, rs.

Em uma quote pra vocês:




Sobre o Autor:
VinnieVinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]

25/08/2012

Crank

Adrenalina
Ano: 2006
Com quem? Jason Stathan (Carga Explosiva), Amy Smart (Efeito Borboleta) e Jose Pablo Cantillo (Paranoia).
Direção: Mark Neveldine (Motoqueiro Fantasma - Espírito de Vingança) e Brian Taylor (Jonah Hex).

É sobre o quê?
Chev Chelios é um matador de aluguel que tem pouco tempo de vida. Depois de ser sequestrado por mafiosos, o cara é envenenado com uma substância que faz seu coração ir parando aos poucos. A solução pra continuar vivo é manter a adrenalina sempre alta. Durante um dia inteiro, Chev percorre a cidade se metendo em perigo com o coração sempre acelerado, para conseguir ficar vivo tempo o suficiente para planejar uma vingança.

Eu gostei de:
Fui saber desse filme quinta passada, quando Victor colocou o Chev na lista de machões do cinema aqui no blog. Me interessei pela história e baixei no mesmo. A premissa é muito boa e fácil de entender. A gente não precisa de mimimi de médico pra entender que: a) o cara tá morrendo; b) ele precisa ficar loucão o. tempo. todo.

O filme segue um ritmo muito frenético, do início até o final. Quer dizer, ele já começa ASSIM: 


Do começo ao fim, tudo é muito corrido. O filme tem um visual diferentão muito awesome, parecido com videoclipe. Lembra bastante algumas cenas de 127 Horas. O protagonista, apesar da gente não saber quase nada sobre a vida dele, faz a gente se importar logo de cara. Afinal, fizeram uma PUTA SACANAGEM com o cara.

Em cada lugar que Chev chegava, eu começava a olhar em volta procurando meios da adrenalina aumentar. A gente se preocupa com a vida do cara, não porque ele é gente boa (afinal, ele nem é rs). Mas porque a gente fica com vontade de saber onde tudo vai terminar.

Muito sangue, corrida de carro e cenas absurdas. Pra quem gosta, é um prato cheio!

Eu não curti:
ENTÃO, acho que cagaram um pouco a história inventando um personagem tão foda e invencível. Se a gente pegar nessa linha de "caras fodas que nunca morrem", o Jason Bourne por exemplo. O cara é um gênio, agente secreto, lutador, etc. Um ser humano foda  Daí é meio que justificável o fato dele não morrer nunca.

Mas o Chev tá com o coração todo zuado, toma atitudes impensadas o filme inteiro e nem é tão esperto assim. E, apesar disso tudo, ele é invencível. Os bandidos facilitam muito pra ele, e durante o filme eu me peguei algumas vezes pensando "pqp que mentirada. podiam super ter matado ele nessa aí. DERAM MOLEEE", e isso foi péssimo.

Ah, e a namorada dele também é péssima, tadinha. rs.

bqt medicinal 
Mas e aí? Vale a pena?
Pra mim valeu bastante. O filme me prendeu, me divertiu, me deixou tenso e tem um final que me deixou tipo ................. Agora preciso assistir a sequência pra matar a curiosidade!

Você vai gostar se...
Se gosta de filmes de ação, desses bem viajantes. Com explosões, trocas de roupa no meio do nada, e acontecimentos absurdos que fogem da lógica do dia a dia rs. Se você for desses malas que questionam a veracidade em filmes de ação, pfvr passe longe.

Em uma reação ao fim do filme: 




Sobre o Autor:
Vitor Vitor. Meu gosto pra filmes é uma bagunça. Curto dos mais clássicos aos mais zuados. Tudo depende do dia. Tem dia que acordo querendo ver carros explodindo e tiro pra todos os lados. Tem dia que estou no clima pra ver filme de mulherzinha, com roteiro batido e final feliz. Gente cult me mata de preguiça. [Perfil completo]

24/08/2012

Marvel One-Shot: Item 47

Marvel One-Shot: Item 47
Ano: 2012
Com quem? Lizzy Clapton (Cloverfield – Monstro), Jesse Bradford (Romeo + Julieta), Maximiliano Hernández (Thor) e Titus Welliver (À Beira do Abismo). 
Diretor: Louis D’Esposito 

É sobre o quê? 
Os Vingadores venceram a batalha e todo mundo sabe disso. Eles foram uns amores e salvaram o planeta, mas como nem tudo é perfeito, a S.H.I.E.L.D. esqueceu de recolher algumas armas da “invasão alienígena”. 

Eu gostei de: 
Quem assistiu Os Vingadores e curtiu (quase todo mundo) sabe que não tem um momento em que o roteirista não enfiou alguma piadinha. O filme inteiro é divertido, cheio de cenas engraçadas misturada com as cenas de ação. O que a Marvel está fazendo é tentando deixar esse “novo” grupo de super-heróis o mais épico possível. E o que acontece quando querem fazer algo alcançar mais sucesso ainda? As pessoas ou fazem mil continuações desnecessárias ou enche os fãs de extras, spin-offs, brinquedos, jogos, roupas, músicas, tudo o que for possível. E não é que funcionou? Os Vingadores já é uma das maiores bilheterias do mundo e agora, caso você tenha vários dinheiros, quando você compra uma cópia blu-ray do filme você ganha vários extras legais e mais esses curtas sensacionais chamados de “Marvel One-Shot”. 

Além de eu ter achado sensacional essa jogada de marketing da Marvel Studios, a qualidade do curta é digna de um blockbuster. Não são cenas bobinhas com cenários feito de papelão só para encher linguiça no dvd, a coisa é séria! Durante os poucos minutos eu fiquei surpreendido pelos efeitos e pela qualidade épica das cenas. A vontade que fica quando você termina de assistir é que eles transformem essas histórias secundárias que aconteceram depois da batalha dos Vingadores em um filme completo. Imagina que sensacional algo parecido com “New York, I Love You” em versão cidadãos aleatórios depois das batalhas dos heróis da Marvel? Eu ia adorar e acho que qualquer nerd/geek/fã de filme de super-herói ia curtir também.
Imagem aleatória para agradar os leitores rs rs rs
Eu não curti: 
Por mais que tudo seja espetacular, o desenvolvimento da história é incrivelmente apressado. Não que isso deixe o curta muito ruim, mas já vi oito minutos aproveitados de melhor forma. Nesse tempo todo tinha como fazer várias outras cenas e ainda adicionar mais situações ~radicais~. Infelizmente essa pressa de dar um desfecho digno a uma história tão interessante acabou limitando o que poderia ter sido o spin-off mais legal da Marvel.

Vale a pena?
Sem dúvidas. É tão rapidinho assistir um curta. Você nem tem desculpa para não assistir, é tipo recusar chocolate de graça. Ainda mais quando esse chocolate tem como recheio a sensacional Lizzy Clapton, que a gente ama desde Mean Girls e odeia desde Cloverfield. Ela é simplesmente mais uma linda totalmente underrated em Hollywood que, mais uma vez, mostrou que um dia vai ganhar o papel principal em uma grande produção cinematografia... e depois, provavelmente, nunca irá fazer algo bom de novo rs.



Você vai gostar se...
Se gostou tanto de Os Vingadores que reblogou todo o filme em gifs no tumblr, que mudou a capa do seu facebook para uma foto do Tony Stark e se ficou no cinema até o fim dos créditos finais para ver essa cena que é melhor que todo o filme (kes). 

Em uma dica caso você encontre uma arma de fogo com tecnologia alienígena:

Quer saber como assistir ao curta? Corre para nosso grupo de dicas e downloads no Facebook!

Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]