• Cloud Atlas: Uma viagem pela história da humanidade.

  • Gangster Squad: Emma e Ryan sendo uns lindos.

  • Les Misérables: ♫ But the tigers come at niiiight ♫

Mostrando postagens com marcador terror. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador terror. Mostrar todas as postagens

19/10/2013

The Purge

Uma Noite de Crime
Ano: 2013

Com quem? Ethan Hawke (2019 - O Ano da Extinção), Lena Headey (Imagine Eu e Você / Game of Thrones), Max Burkholder (Parenthood), Adelaide Kane (Teen Wolf), Rhys Wakefield (+1).

Direção: James DeMonaco (Staten Island).

É sobre o quê?
Nos EUA, em 2022, a taxa de crimes no país é cerca de 1% do que era anteriormente. Tudo isso por causa de uma única noite no ano, chamada de Purge, quando por 12 horas todos os tipos de crimes estão liberados. Estupro, assalto, assassinato, tortura etc. Quem pode se tranca e se protege em casa, quem não tem onde se refugiar... oh well.

Numa destas noites de Purge, uma família rica torna-se alvo de ameaça de um grupo de jovens, após abrigar um rapaz pobre, alvo do grupo naquela noite.

Eu gostei de:
Bom, a ideia principal foi o que me levou a assistir a esse filme. Como assim por 12 horas TUDO é legalizado. Like whaaat. Eu tive que ver como que seria feita toda essa situação, o medo do povo, as bizarrices que podiam ter etc.

shit getting real

Eu curti também a história de repente, a família se ver numa situação tensa tendo que decidir se deve ou não abrigar e proteger um cara que é alvo da ~matança. Fiquei me pondo no lugar e bem, não sei se eu abriria a porta rs. Então gostei desta coisa de conflitar o que é certo, o que é seguro, egoísmo/altruísmo etc.

Também achei o Ethan Hawke e a Lena Lannister Headey muito convincentes no papel. Nada demais na verdade, mas deu pra se colocar no dilema dos dois sobre a situação. No fim a gente acaba torcendo mesmo para o casal e fica um pouco tenso também.

yep... we're fucked

Eu não curti:
Olha, de maneira geral, eu sinto que consegui aproveitar bastante deste filme e acabei gostando. Mas isso porque eu simplesmente não quis questionar nada, nem pensar muito a fundo... pq olha, tem muita palhaçada. Por exemplo: "Por que o povo não viaja pra outro país neste dia?", "Pq as pessoas não tem um Panic Room fodástico?", "Pq todo mundo fica focado em matar UMA ÚNICA pessoa aleatória, sendo que tem um milhão de coisas pra fazer".

Sério se eu tivesse 12 horas para tocar o terror, nunca que eu gastaria esse tempo pra matar uma pessoa. Bom, nem vou falar as coisas que eu faria, pq provavelmente envolveria algo como invadir o McDonald's e:

FREE BIGMACS *O*

Enfim, o filme tem uma ótima premissa, mas a ideia é meio que mal aproveitada. Com trocentos dilemas para mostrar, o caos no país inteiro etc, e só vemos o que acontece dentro da casa daquela família. Aí acaba virando mais um filme de "invasão domiciliar" qualquer, só que com uma direção fraquinha.

Além disso, por ter só uns 80 minutos de duração, não conseguimos conhecer muito bem assim a família para se importar realmente com ela. Claro que eu fiquei torcendo para tudo dar certo, mas muitas vezes era difícil quando os filhos do casal se mostravam as pessoas mais burras do mundo. (aliás a família toda é meio monga, so annoying).

eu culpo os pais u.u

E vale a pena?
Hummm.... é.... não haha. Olha na verdade o filme não é ruim, ele tem suas falhas, é um pouco previsível e nem dá muito medo (se bem q eu assustei umas horas haha). Mas eu particularmente fiquei bem entretido. Então dá para assistir numa boa, é só não esperar muito dele não (sei que fizeram uma puta divulgação nos EUA e a galera ficou decepcionada). Enfim, eu até que gostei de modo geral, até assistiria de novo no Telecine, rs.

Você vai gostar se...
Gosta de filmes de "socorro querem invadir minha casa", como "Quando um Estranho Chama", "Funny Games" e "Os Estranhos" e afins.

Em uma utilidade deste filme: Fantasias baratas de Halloween! \o/

Sério, só precisa da máscara e tá show



Sobre o Autor:

Vinnie
Vinnie. "Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo". [Perfil completo]


14/10/2013

The Conjuring

Invocação do Mal
Ano: 2013

Com quem? Vera Farmiga (A Órfã), Patrick Wilson (Menina Má.com), Lili Taylor (A Casa Amaldiçoada), Ron Livingston (Boardwalk Empire) Mackenzie Foy (Amanhecer Parte II), Joey King (Ramona e Beezus).

Direção: James Wan (Jogos Mortais).

É sobre o quê?
Em 1971, o casal Roger e Carolyn Perron muda-se com suas cinco filhas para uma nova casa em Rhode Island, uma propriedade bem antiga e afastada da civilização (não é sempre assim?). Após algumas noites, a família passa a notar estranhos eventos envolvendo a nova residência, levando todos a crer que a casa está sendo assombrada. Desesperados por ajuda, o casal então decide contactar Ed e Lorraine Warren, dois notórios especialistas em eventos paranormais, demônios e casos de assombração.

Baseado em uma história real. (amo)

Eu gostei de:
The Conjuring é a prova de que um filme de terror não precisa ser apelativo. O que eu mais gostei no filme é de como não precisa de muito pra deixar a gente com medo ou nos assustar, se a direção é boa e as atuações são boas, pronto, ta aí um bom terror. A história de casa mal assombrada é a coisa mais não original do mundo, mas a forma como ela é contada faz parecer como se a gente não tivesse visto nada disso antes (mesmo se já vimos).

tipo isso rs

São muitos sustos e a atmosfera é tensa a maior parte do tempo, não porque ficamos vendo sangue jorrando e tripas voando o tempo todo, mas simplesmente porque a gente se importa com a família (tanto os Perron quanto os Warren). Eles são fofos e não merecem isso D: haha.


Mas claro que há coisas que são mostradas sim, e os sustos vão do mais sutil até umas coisas bem macabras (que nem vou mostrar aqui pra não estragar).

essa é a sutil rs

Como se não bastasse a atuação perfeita da Vera Rainha do Mundo Farmiga e do Patrick Wilson, como a família de "caçadores de fantasmas", os dois personagens trazem uma certa inteligência, que normalmente falta nestes filmes. Sabe aquelas infinitas burrices que as pessoas fazem constantemente em filmes de terror? Como ficar sozinho, recusar a acreditar nas coisas etc? Então, não vai ter aqui, pois o casal Warren samba muito nas infos sobrenaturais <3 .


Eu não curti:
Olha eu gostei bem de tudo viu, só uns detalhes que eu não curti muito. Neste caso foi a maquiagem "das coisas" sobrenaturais. Elas assustam, claro, mas... meh.. já vi melhores por aí rs. A questão é que este filme é tão bom, que eu to tendo que vasculhar na minha cabeça os "problemas" dele. 

Acho que poderia ter tido um pouco mais de gore, embora o fato de não ter seja o que faz este filme tão especial. Mas é que eu gosto mesmo de umas cenas tensas e mais explícitas (com moderação rs).

E vale a pena?
Vale, claro! Fazia tempo que eu não via um filme de terror decente assim (e olha que eu vejo muitos filmes de terror), em que realmente há preocupação em se fazer algo bem feito. O roteiro é bem certinho (sem furos e palhaçadas), a direção é flawless em manter a atmosfera tensa e o elenco não poderia ser melhor. Este filme é do nível de O Iluminado, O Exorcista, Poltergeist e outros clássicos. A dica é assistir com menos pessoas possível, pois como ele não é muito chocante, tudo depende do clima em que você assiste (galera às vezes atrapalha).

Você vai gostar se...
Bom, você vai gostar se curte filmes de terror mais pela história do que pelo shock value. Se você gostou de Os Outros, Mama e Horror em Amityville, American Horror StoryO Iluminado e A Chave Mestra, é possível que goste de The Conjuring também. Porque é tudo isso mixturadoan.

Em uma coisa legal para fazer depois: Ficar pesquisando sobre os personagens e fatos na vida real, como:

Annabelle evil doll real x filme

Lorraine Warren real
etc



Sobre o Autor:

Vinnie
Vinnie. "Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo". [Perfil completo]


04/05/2013

Evil Dead

A Morte do Demônio
Ano: 2013

Com quem? Jane Levy (Suburgatory :O), Shiloh Fernandez (A Garota da Capa Vermelha), Lou Taylor Pucci (Beginners), Jessica Lucas (Cloverfield), Elizabeth Blackmore (Legend of the Seeker).

Direção: Fede Alvarez (primeiro longa dele).

É sobre o quê?
Um grupo de amigos decidem se isolar numa cabana na floresta por alguns dias para ajuda a amiga a se livrar das drogas (de novo). É como se fosse uma rehab forçada, pois a menina já deu muito trabalho no passado.

MAS, um dos rapazes descobre um livro macabro no porão e, após ler alguns trechos, uma entidade maligna é liberada e passa a buscar as almas dos jovens na cabana.

Eu gostei de:
Bom, eu vi trechos do original (que é podraço) e posso afirmar com certeza que esta versão é bem mais assustadora. Eu gostei por ser bem beeeem exagerado. Cenas escrotíssimas, feitas só para chocar a gente. Se você estiver assistindo no clima certo (sem aquele amigo Bozo do lado enchendo o saco), você vai ficar tenso.

Tem muita coisa macabra com o clássico de filmes de terror: "o demônio quer nossa alma", tem premissa melhor que essa? Várias bizarrices vão acontecendo com a galera nessa cabana... E o pior/melhor é que eles demoram eras pra se tocar do quanto eles estão fodidos rs.

QUEM FICARIA LÁ DEPOIS DE VER ISSO???? Bitch I'm OUT

Além do sangue e das tripas, as atuações não são lá das piores, o que faz a gente se importar com a maioria dos personagens e eventualmente torcer para que eles saiam dessa vivos... não importa o quão aleijados possam ficar rs. Mas quem roubou a cena mesmo foi a atriz Jane Levy (a encapetada rainha rs). Ela é a melhor coisa do filme, definitivamente. I mean...

<3<3<3<3

Eu não curti:
Bom, apesar de todas as tosquices deliciosas de Evil Dead, ainda tem umas palhaçadas que irritam. E tudo é por conta deste puto aqui.

Acho que minha irmã tá com hepatite gente. É..... deve ser isso...

Esse cara é tão burro e mala, que transforma várias cenas de tensão, em torcida a favor da morte dele. Sério, a gente vê que era pra ter medo, mas quando envolvia esse cara, sério eu era #TeamDEVIL. Isso chocha o filme um pouco. Além disso, essa múmia faz umas palhaçadas tão random, que por um momento eu achei que ele fosse estragar o filme... ainda bem que não!

E vale a pena?
Vale demais! A história é bizarra, tem cenas assustadoras, muita tripa voando e a gente fica pilhado o tempo todo. É como se tivessem ressuscitado o gênero de terror das cinzas e dado um upgrade. Já tava cansando só ver Atividade Paranormal 23948 e filmes de "minha filhinha/mãe tá possuída, vamos filmar!" etc.

Você vai gostar se...
Se curte filmes com demônios e muita nojeira sem sutileza alguma. Se gosta de Olhos Famintos, O Massacre da Serra Elétrica, O Exorcista, Planeta Terror e/ou Pânico na Floresta, com certeza este remake de A Morte do Demônio vai entrar pra sua lista de favoritos!

Em um apelo: Por favor, façam um remake bom assim de Suspiria!



Sobre o Autor:
VinnieVinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]


03/05/2013

Mama

Mama
Ano: 2013

Com quem? Jessica Chastain (Histórias Cruzadas / A Hora Mais Escura), Nikolaj Coster-Waldau (Game of Thrones / Bent), Megan Charpentier (Resident Evil 5), Isabelle Nélisse (Whitewash).

Direção: Andrés Muschietti (primeiro longa).

É sobre o quê?
Um dia o pai de Victoria e Lilly chega em casa desesperado e sem dar explicação coloca as crianças em seu carro e sai dirigindo pela estrada. Após um acidente, os três se encontram no meio de uma floresta, sem nada por perto a não ser uma cabana isolada. Porém algo que habita o lugar some com o pai, deixando as meninas sozinhas ali, sem ninguém...

Cinco anos depois, o tio encontra as meninas, que estão subnutridas e completamente selvagens. Agora ele e sua namorada tem que cuidar das crianças e criá-las para viver em sociedade novamente. O que ninguém sabe é que as crianças não vieram sozinhas.

Eu gostei de:
Achei a ideia bem diferente. Porque envolve não só uma entidade sobrenatural, perigosa, mas também duas menininhas bem freaks e isso tudo gera uma grande tensão em vários momentos do filme, não há momentos para relaxar rs. Além disso, tem váááários sustos que funcionam and I screamed. like. a. little. cunt...

Em geral o filme é bem creepy. E é uma coisa que funciona em grande parte do filme, porque tudo depende da atuação das garotinhas e elas são ótimas. Claro que mudam as atrizes, mas é bem legal ver que elas passam disso:

awn

para isso:

oi :)

Outro ponto positivo é que a Annabel, a "mocinha" de Mama, não é daquelas matriarcas sofredoras, que amam tanto as crianças a ponto de não enxergar o que está acontecendo. Ela é uma fofa mas em vários momentos ela solta uns: "bitch... not my kids, I'm OUT!" hahaha.

rs

Eu não curti:
Bom, eu costumo gostar dessas coisas de "fantasia" em filmes de terror, em que as criaturas aparecem mesmo, voando por aí etc (cheio dos CGI). Mas no caso de Mama eu acho que menos seria mais

Claro que é bom também VER realmente as coisas e não ficar só no "uuuuh, será que tem algo ali?", mas acho que poderia não mostrar tanto as "coisas", a ponto da gente se acostumar e ir perdendo o medo, sabe? Eu nem vou colocar gifs aqui, para não perder graça desde já rs.

E vale a pena?
Pra quem gosta do gênero, vale sim. Tem sustos e tem tensão. Não é aterrorizador, não é cheio de sangue e tripas voando, nada disso. Com certeza Mama não é um filme para te dar pesadelos, é apenas para te deixar intrigado e assustado por 1 hora e meia. Não é incrível, claro, mas entretém bastante.

Você vai gostar se...
Gosta de filmes que envolvam seres sobrenaturais, crianças macabras e esteja repleto de BOOM sustos na sua cara! Se você gostou de "Don't Be Afraid of the Dark", "The Possession" e "Sinister", com certeza vai gostar de Mama também. (aliás, eu já vi Sinister e não postei sobre - help!)

Em uma delícia para vocês lerem depois do filme: Os comentários dessa menina sobre o filme no facebook haha (cheio dos spoilers ok)



Sobre o Autor:
VinnieVinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]


27/02/2013

Red State

Seita Mortal
Ano: 2011
Com quem? Michael Angarano (Sky High), Nicholas Braun (As Vantagens de Ser Invisível), Kyle Gallner (Evocando Espíritos), John Goodman (Argo), Melissa Leo (Conviction/O Vencedor), Michael Parks (Django Unchained/Kill Bill),

Direção: Kevin Smith (Dogma).

É sobre o quê?
Três adolescentes que moram no interior dos EUA recebem um convite para sexo com uma mulher mais velha de uma cidade vizinha. Os rapazes acabam topando e marcam um programa, porém tudo não passa de uma armadilha e eles se veem presos em uma igreja cheia de fundamentalistas fanáticos, que têm por missão livrar o planeta de todas as pessoas consideradas pecadoras.

Eu gostei de:
A ideia é bem interessante, é baseada naquela Igreja Batista de Westboro, que tem o adorável slogan de "God Hates Fags". Só que neste filme eles são muito mais hardcore e, além dos protestos de sempre, também assassinam homossexuais e pessoas "depravadas" nas horas vagas.

só gente fina...

O filme começa bem tenso e, mesmo que a gente não conheça (ou até mesmo goste) dos personangens principais, é impossível não nos importar com eles, afinal é tudo muito absurdo e injusto.

"I'm not even gay!!!"

O filme tem um roteiro bem legal e diferente. Tem alguns diálogos engraçados e, ao mesmo tempo, cenas de violência e tiroteio. O pastor e líder da igreja é completamente insano e é impressionante como ele consegue encontrar na bíblia todas as "justificativas" para cometer assassinatos e levantar uma guerra contra os homossexuais. E o cara faz tudo isso no maior estilo lavagem cerebral (pure evil). Além disso, a Melissa Leo e o John Goodman estão ótimos.

"This should be simple...."

Eu não curti:
Bom, eu esperava um filme de terror, bem tenso mesmo, mas não é exatamente assim. A primeira metade do filme é sim tensa e eu estava achando ótima... só que depois de uns 20 twists and turns, vira um filme de ação haha.

O fato de não ter exatamente por quem torcer também prejudica um pouco nosso envolvimento com o filme. Então parece que ninguém é exatamente bonzinho e no fim das contas a gente só quer sangue e fica:


(mas pelo menos a gente sabe que o povo da igreja é tudo fdp rs)

E vale a pena?
Eu achei que valeu. Não foi tão tenso e aterrorizante como eu esperava, mas de qualquer forma eu fiquei bem entretido. O roteiro não é nada previsível e rolam muitos tiros pra deixar a gente animado. Afinal, quem não gostaria de ver uma galera metralhando a casa do Bolsonaro ou do Malafaia.

Você vai gostar se...
Curte filmes com um ar de Tarantino, cheio de surpresas, gente louca e obcecada. E, também, se gostaria de ver alguém finalmente enfrentando um destes grupos de religiosos fanáticos.

Em uma vontade quando vejo que existem pessoas ignorantes assim na realidade: 




Sobre o Autor:
VinnieVinnie. Eu não tenho filtros e vejo qualquer tipo de coisa. Gosto de drama, ação, terror, comédia e não tenho preconceitos (vou de cult a blockbusters e trashões). Sou fanático por premiações e futilidades de Hollywood. Odeio spoilers mais que tudo. [Perfil completo]


30/01/2013

House at The End of The Street

A Última Casa da Rua
Ano: 2012
Com quem? Jennifer Lawrence (O Lado Bom Da Vida), Max Thietriot (Jumper), Elisabeth Shue ( Mistérios da Carne) e Gil Bellows (Um Sonho De Liberdade). 
Diretor: Mark Tonderai (Hush)

É sobre o quê? 
Elissa (Jennifer Lawrence) se muda com sua mãe (Elisabeth Shue) para uma nova cidade e descobre que a casa vizinha foi a cena de um terrível assassinato. Curiosa com a história, ela acaba fazendo amizade com o único sobrevivente do massacre (Max Thieriot). 

Eu gostei de: 
Esse ano, assim como ano passado, todo mundo só vem falando de Jennifer Lawrence. Seu talento como atriz, sua beleza, seu carisma, sua personalidade maluca que fala sem pensar e tudo mais. Ela realmente merece toda essa atenção e nós do blog amamos muito essa coisa linda! E como se é de esperar ela está ótima em um filme mediano. Praticamente carrega o filme nas costas enquanto corre em situações clichês que geram sustinhos bobos. 

Sendo sexy correndo assustada
Sendo gata brincando de pique-esconde
Sendo sensual fazendo flexões
Gostei até da história, que uma hora ou outra conseguiu animar e me enganar a pensar que o filme poderia sair do medíocre. Há várias situações que são salvas pela gritaria e correria, pela Jennifer Lawrence e pelos truques de câmera, mas fora isso não posso apontar outra coisa que tenha gostado. Talvez a trilha sonora ou a fotografia... Sei lá. Acho que seria melhor ter assistido a um filme ruim do que um filme tão sem sal como esse. 

Eu não curti: 
Clichês. Clichês em todo canto! A cada cena de tensão você já sabe o que vai acontecer e o filme segue assim até o final. Algumas coisas diferentes vão acontecendo e deixam a história mais interessante, porém não chegam a deixa tudo INCRÍVEL E SENSACIONAL. É como se alguém tivesse feito um bolo ruim e tivesse colocado muita cobertura de chocolate e mm’s em cima só para disfarçar o sabor sem graça do bolo. #MetáforasComComida

Vale a pena?
Se você não estiver fazendo nada melhor como, por exemplo, seguir as nossas dicas para acompanhar o Oscar 2013 com os detalhes mais legais, então vale. Eu não me arrependo (tanto) de ter assistido porque a Jenniferzinha Lawrence é sempre uma coisa linda de se assistir; até a Turma do Didi eu estou assistindo se ela aparecer. 

Você vai gostar se...
Gosta de mistérios fáceis de se resolver, personagens clichês de cidadezinha de interior, protagonistas lindas que brilham glamour gritando por ajuda e gente descabelada. 

Em mais uma foto: sendo linda até stalkeando o mino.

(Assista ao trailer de A Última Casa da Rua)

Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]

20/11/2012

Martyrs

Martyrs
Ano: 2008
Com quem? Morjana Alaoui (Forças Especiais), Mylène Jampanoï (Além da Vida) e Xavier Dolan (Eu Matei A Minha Mãe / Amores Imaginários). 
Diretor: Pascal Laugier (The Tall Man)

É sobre o quê? 
Lucie vai à busca de vingança contra aqueles que a sequestraram e a torturaram quando criança. Anna, sua melhor amiga de infância, tenta ajuda-la a superar seus traumas, mas as duas acabam entrando em uma jornada infernal cheia de ódio, insanidade e sangue. Muuuito sangue! 

Eu gostei de: 
Vamos todos parar um minuto para respirar e entender que Martyrs é um dos filmes de terror mais perturbadores do século XXI. Ele te captura pelas razões certas no começo e te surpreende no final com uma conclusão dramática que você não estava esperando nem mesmo se tivesse participado da produção do filme. 

O roteiro não começa muito original, mas mesmo com um começo comum a filmes de terror atuais, as cenas não deixam de surpreender pela sua veracidade e qualidade. A direção e as atuações se demonstram espetaculares logo nos primeiros acontecimentos pesados. Inicialmente a sensação é que as cenas nos passam é aquele medo de levar um susto inesperado e uma agonia de arrepiar os ossos por causa de tanta de violência explicita que a Lucie tem que enfrentar. Se já não fosse difícil aguentar o que acontece na primeira parte do filme, a história dá um duplo twist carpado e tudo que a gente imaginou estar F*D¨%$O fica pior ainda. A tortura se torna psicológica para quem está assiste e as cenas se prologam e ficam mais “quietas” comparadas com a correria inicial.



Na medida em que a história vai crescendo fica impossível fazer qualquer movimento na poltrona/sofá. As atuações já se provaram dignas de cinco pizzas, a trilha sonora deixa cada situação mais tensa que o normal e a fotografia se modifica de acordo com o estilo da cena; se é tensa, a câmera parece ser o nosso olhar tremulo no cenário e se for agonizante a câmera fica paradinha só para deixar tudo BEM CLARO (basicamente o diretor não teve receio de esfregar tanto sangue na nossa cara J). E como a maioria dos filmes franceses que eu já assisti termina de uma maneira inesperada e absurdamente genial, Martyrs dá o ponto final dos mais chocantes que eu já vi em um filme em toda minha vida. 

SEM SPOILERS NAS IMAGENS, FIQUEM TRANQUILAS. 
Eu não curti: 
O sentimento que aflora no início, aumenta durante ou fica na mente depois dessa tortura psicológica chamada de longa-metragem. Pode parecer exagero, mas se você vai assistir um filme achando que vai ser mais um wanna-be-filme de terror koreano e dá de cara com uma produção impecável com uma história única não há razão de não se surpreender. Ainda mais quando a possibilidade de você assistir um filme de terror bom atualmente está em uma relação de 4/50. 

Vale a pena?
POR FAVOR, ASSISTAM! Eu vou mandar todo mundo da equipe do Blog assistir e quem não assistir vou fazer questão de sequestrar e colocar em frente a uma televisão 52 polegadas com Martyrs em loop eterno. Isso é um aviso sincero Vinnie, Vitor, Eugenia, Allyssa, Ani e Victor! 

#AMEAÇA
Você vai gostar se...
Curtiu “A Pele Que Habito” e achou pesado. Imagina algo bem pior... Os arrepios de A Pele Que Habito misturados com um pedacinho da sua alma que morreu igual em "Melancolia" ou "Dancer in The Dark". Isso é Martyrs. 

Em uma pergunta: quantas pizzas vocês acham que vou dar para esse futuro clássico do terror?
CINCO? 
NOPE! DEZ!!! Se fosse possível rs



Sobre o Autor:
Kabe Kabe. Eu costumo prestar atenção em detalhes sem relevância nos filmes e expandir a história na minha cabeça antes mesmo dos créditos iniciais começarem. Um filme perfeito seria aquele sem gênero definido em que a Elle Fanning chora com um Alien de bow tie enquanto o espaço explode em slow motion. Ah, e eu converso com os personagens. [Perfil completo]